Jornal do Commercio
Vai acontecer?

Encontro histórico entre Coreia do Norte e EUA pode não acontecer

Motivo do possível cancelamento do encontro é uma manobra militar conjunta entre Coreia do Sul e EUA

Publicado em 15/05/2018, às 18h07

Trump e Kim estavam com um encontro marcado para o dia 12 de junho, em Cingapura / Foto: AFP
Trump e Kim estavam com um encontro marcado para o dia 12 de junho, em Cingapura
Foto: AFP
AFP e Estadão Conteúdo

A Coreia do Norte ameaçou cancelar a histórica cúpula entre seu líder, Kim Jong Un, e o presidente americano, Donald Trump, devido a manobras militares conjuntas de Washington e Seul, reportou nesta quarta-feira (terça no Brasil) a agência de notícias sul-coreana Yonhap, citando sua equivalente do norte, KCNA. Já o encontro desta quarta-feira (16) entre as coreias foi cancelado.

A reunião entre Norte e Sul ocorreria no vilarejo fronteiriço de Panmunjom e tinha como objetivo planejar a implementação da declaração assinada durante a Cúpula Intercoreana, em 27 de abril, incluindo as promessas de encerrar formalmente a Guerra da Coreia e buscar uma "completa desnuclearização".

Em relação ao encontro datado para 12 de junho entre Trump e Kim, Washington "terá que pensar cuidadosamente sobre a realização desta cúpula Estados Unidos-Coreia do Norte após esta confusão militar provocadora", explicou a KCNA, citada pela Yonhap.

Pouco depois, o governo americano anunciou que manteria os preparativos para a cúpula entre Trump e Kim, apesar de uma ameaça da Coreia do Norte de cancelar esta reunião.

"Seguimos avançando" para a cúpula de 12 de junho, disse Heather Nauert, porta-voz do Departamento de Estado, acrescentando que Washington não recebeu nenhuma "notificação" da advertência norte-coreana reportada pouco antes pela agência noticiosa sul-coreana.

Manobras das forças aéreas americanas e sul-coreanas são um teste de invasão e uma provocação em um momento em que as relações intercoreanas estão melhorando, advertiu a KCNA.



Esta linguagem é um retorno inesperado ao passado por parte de Pyongyang, que sempre disse que precisa de armas nucleares para se defender da ameaça americana.

No mês passado, durante uma cúpula intercoreana, dirigentes das duas Coreias se comprometeram com o objetivo de desnuclearização da península. 

Pyongyang acaba de anunciar que desmantelará ao final de maio sua única instalação conhecida de testes nucleares, mas não informou publicamente quais concessões pedirá em troca.

A cúpula entre Kim e Trump está prevista para 12 de junho em Cingapura, e terá como pano de fundo a questão dos programas balístico e nuclear na Coreia do Norte.

Washington exige uma "desnuclearização completa, verificável e irreversível (DCVI)" da Coreia do Norte e afirma que a verificação é essencial.

Pyongyang, por sua vez, afirma que não precisaria de armas atômicas se for garantida a segurança do regime.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por UZERLANDIO PASSOS,15/05/2018

Os norte americanos e seus aliados podem tudo, os demais nada podem. A denuclearização deveria ser para todos os paises, inclusive para a america do norte e seus aliados.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM