Jornal do Commercio
EUA

Traficante de armas brasileiro admite culpa em Miami

Frederik Barbieri contrabandeava armas semiautomáticas da Flórida para o Rio de Janeiro

Publicado em 16/05/2018, às 16h17

Em fevereiro, agentes federais americanos invadiram um depósito alugado por Barbieri na Flórida, onde encontraram 52 fuzis, dezenas de carregadores e 2.000 cartuchos de munição / Foto: Divulgação/Polícia Civil do Rio de Janeiro
Em fevereiro, agentes federais americanos invadiram um depósito alugado por Barbieri na Flórida, onde encontraram 52 fuzis, dezenas de carregadores e 2.000 cartuchos de munição
Foto: Divulgação/Polícia Civil do Rio de Janeiro
AFP

O brasileiro Frederik Barbieri, preso em fevereiro no sul da Flórida, se declarou culpado de contrabandear armas semiautomáticas para o Brasil, informaram as autoridades americanas. 

Barbieri, de 46 anos, admitiu sua culpa em "exportar ilegalmente armas, acessórios para armas e munições do sul da Flórida para o Rio de Janeiro, no Brasil", escreveu o escritório de migração ICE em um comunicado. 

O juiz federal Federico Moreno emitirá a sentença em 19 de julho, que poderá ser de no máximo 25 anos de prisão.

Normalmente, uma declaração de culpabilidade significa que o réu concordou em fornecer informações à Justiça em troca de uma redução da pena.

Em fevereiro, agentes federais americanos invadiram um depósito alugado por Barbieri na Flórida, onde encontraram 52 fuzis, dezenas de carregadores e 2.000 cartuchos de munição.



Ele foi preso no dia seguinte, 23 de fevereiro, em sua residência em Port Saint Lucie, ao norte de Miami.

Anteriormente, agentes brasileiros haviam interceptado no Rio de Janeiro um carregamento enviado por Barbieri da Flórida contendo "cerca de 30 fuzis AR-15 e AK-47, bem como carregadores, todos escondidos em quatro aquecedores de água", explicou a Justiça americana.

A documentação fornecida pela empresa de transporte mostrou que, entre 2013 e 2017, Barbieri havia enviado para o Rio de Janeiro outras remessas com 120 aquecedores de água, motores elétricos e aparelhos de ar condicionado, itens normalmente usados ??para esconder carregamentos ilegais de armas.

A venda de armas é legal nos Estados Unidos, mas não no Brasil. O preço de venda dos fuzis AK e AR em uma loja de varejo americana varia de US$ 700 a US$ 1.000, enquanto o seu valor no mercado negro pode chegar a US$ 20.000.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM