Jornal do Commercio
INVESTIGAÇÃO

Justiça investiga abusos a menores numa Igreja chilena

Justiça chilena apreendeu documentos eclesiásticos nas cidades de Santiago e Rancagua para investigar caso com enviados do Papa

Publicado em 13/06/2018, às 22h41

A ação judicial, que surpreendeu a Igreja chilena, ocorre em meio à visita do arcebispo de Malta, Charles Scicluna, e do monsenhor Jordi Bertomeu / Foto: Diego Reyes/ AFP
A ação judicial, que surpreendeu a Igreja chilena, ocorre em meio à visita do arcebispo de Malta, Charles Scicluna, e do monsenhor Jordi Bertomeu
Foto: Diego Reyes/ AFP
AFP

A Justiça chilena apreendeu nesta quarta-feira (13) documentos eclesiásticos nas cidades de Santiago e Rancagua, com base nas denúncias de abuso sexual contra menores por parte da Igreja Católica.

A ação judicial, que surpreendeu a Igreja chilena, ocorre em meio à visita do arcebispo de Malta, Charles Scicluna, e do monsenhor Jordi Bertomeu, enviados do Papa Francisco para escutar testemunhos de vítimas de abusos sexuais.

"Foram diligências simultâneas em Santiago e em Rancagua", disse à imprensa o procurador regional Emiliano Arias, que se declarou "satisfeito com os resultados".

Arias explicou que as diligências constituem um "hito" fundamental na investigação envolvendo membros da Igreja que cometeram crimes contra menores, mas esclareceu que "não se trata de uma investigação contra a Igreja Católica".

"O arcebispado de Santiago entregou ao senhor procurador toda a documentação solicitada", revelou o arcebispo da capital chilena, cardeal Ricardo Ezzati, reafirmando sua "disponibilidade de colaborar com a Justiça".

Na tarde desta quarta-feira, o procurador-geral, Jorge Abott, e outros três procuradores se reuniram com Scicluna "em busca de colaboração para as investigações que estamos realizando", revelou Abott ao final do encontro.



O compromisso "é estabelecer a verdade, especialmente para a reparação das vítimas".  

A visita de Scicluna e Bertomeu ocorre em meio a uma forte reestruturação da Igreja chilena, determinada pelo próprio Papa Francisco após as denúncias de abusos.

Todo o episcopado chileno apresentou sua renúncia em 18 de maio, depois de uma série de reuniões com Francisco no Vaticano.

Na segunda-feira, Francisco aceitou a renúncia de três bispos chilenos, incluindo a de Dom Juan Barros, ligado ao escândalo de pedofilia que abala o clero chileno.

Vários membros da hierarquia da Igreja Católica chilena são acusados ??de terem ignorado ou encoberto os abusos do padre chileno Fernando Karadima nos anos 80 e 90.

Francisco, que em um primeiro momento defendeu durante sua viagem ao Chile em janeiro o bispo Juan Barros, acusado de encobrir os abusos, reviu sua posição.

O papa pediu desculpas às vítimas e admitiu "sérios erros" depois de ler um relatório de 2.300 páginas sobre os abusos no Chile.

O sumo pontífice recebeu no início de maio no Vaticano três vítimas do padre Karadima, condenado em 2011 por um tribunal da Santa Sé por ter cometido atos de pedofilia nos anos 80 e 90.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Roberto ,13/06/2018

Difícil, para para um pecador, não ter mais onde rezar, com os templos sagrados transformados, na melhor das hipóteses, em Sindicatos Comunistas,que distribuem coisas materiais, sem acreditar em que ' O SENHOR E MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ' ,né...

Por Roberto ,13/06/2018

Difícil, para para um pecador, não ter mais onde rezar, com os templos sagrados transformados, na melhor das hipóteses, em Sindicatos Comunistas,que distribuem coisas materiais, sem acreditar em que ' O SENHOR E MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ' ,né...



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM