Jornal do Commercio
eleições nos EUA

Rejeição a Hillary levou à inesperada vitória de Trump no Wisconsin

Candidato republicano Donald Trump venceu pela diferença de 1%. Democratas não perdiam no Wisconsin desde 1984

Publicado em 09/11/2016, às 18h07

Rubens Costa acredita que Trump pode favorecer economia do Wisconsin, mas trazer danos ambientais e aumento de custos agrícolas / Facebook/Reprodução
Rubens Costa acredita que Trump pode favorecer economia do Wisconsin, mas trazer danos ambientais e aumento de custos agrícolas
Facebook/Reprodução
Marcelo Pereira

 

Uma das derrotas mais inesperadas dos democratas na eleição a Presidente nos Estados Unidos foi em Wisconsin, que havia dado duas vitórias ao presidente Barack Obama nas eleições anteriores e onde não perdiam desde 1984, quando Ronald Reagan venceu Walter Mondale. A candidata do Parido Democrata, Hillary Clinton, teve 46,9% contra 47,9% do candidato do Partido Republicano, Donald Trump, que ao final foi eleito para governar o país por ter mais delegados por Estado, embora tenha menos votos populares.

“Foi surpreendente. Ninguém esperava a vitória Trump. Foi a eleição mais diferente dos últimos 30 anos”, diz o pernambucano Rubens Costa, que mora na cidade de Milwaukee e migrou há três décadas para os EUA, onde votou nos cinco pleitos mais recentes para a Presidência da República. “Trump era visto inicialmente como uma comédia, não era levado a sério. Mas com a injeção enorme de dinheiro começou a conquistar um eleitorado importante: o homem branco de alto poder aquisitivo e o de classe média, que é maioria na região”.

Para Rubens, diretor de operações de uma empresa que trabalha com grandes projetos de iluminação, incluindo cidades e estádios, a promessa de Trump de renovar as licenças as minas de carvão pode ter influído “Nos últimos anos, Wisconsin investiu em novas fontes de energia, em hidrelétrica e em nuclear. A proposta de Trump pode ser boa do ponto de vista econômica, mais é deplorável para o meio ambiente”.

EFEITO COLATERAL

Wisconsin é um dos maiores criadores de gado e produtores de leite, carne e derivados dos Estados Unidos, atraindo milhares de migrantes americanos que trabalham durante os meses mais quentes do ano. “Com o novo estímulo à indústria de carvão, há um temor de elevação nos custos da economia agrícola, pois esta mão de obra migrante deve desaparecer”. Então o que teria levado o candidato republicano à vitória? “A população que votou em Trump certamente não queria Hillary Cinton como candidata democrata. Ela tinha altos índices de rejeição nas pesquisas e isto influenciou no resultado”, disse Rubens Costa.

Ao contrário de Trump, que visitou o Wisconsin dias antes da eleição, Hillary teve a soberba de não aparecer por lá desde que foi indicada pelo Partido Democrata e pagou caro por isto.

 

 

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM