Jornal do Commercio
política

Opinião: a falta que Marco Maciel faz na política

Ex-governador de Pernambuco, Gustavo Krause opina sobre Marco Maciel

Publicado em 22/07/2017, às 22h19

"Não fosse a enfermidade que comprometeu seriamente sua saúde, Marco Maciel estaria inteiramente dedicado à vida pública, buscando caminhos para a saída da profunda crise que atormenta o Brasil"
Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem
GUSTAVO KRAUSE

No dia 21 de julho do corrente ano Marco Maciel completou setenta e sete anos. Não tratarei da notável biografia e virtudes pessoais. Para tanto, repito o conceito que serviu de fecho para o documentário do Congresso Nacional sobre a vida dele: “Marco Maciel foi o ser humano menos imperfeito que conheci”.

Tratarei, sim, da primeira tentativa do então Senador Marco Maciel, de regulamentar as atividades dos grupos de pressão – lobbies – e da atualidade do pensamento de Marco Maciel sobre a reforma política. A iniciativa se deu em 1984 através do Projeto de Lei nº 25. Arquivada. Marco Maciel reapresentou em 1989 que recebeu parecer favorável do Senado e tramitou na Câmara como projeto de lei nº 203 sob a rubrica nº 6132-A, de 1990, até o fim da legislatura em 31 de janeiro de 1995.

A proposição compreendia quatro partes distintas e tinha como objetivo, tornar transparente a atividade de grupos de pressão direcionada a influenciar a deliberação e a eventual tomada de decisão no âmbito do Poder Legislativo. Depois de quase três décadas, tramita mais de uma dezena de projetos de lei sobre o assunto. Se a voz pioneira de Marco Maciel fosse ouvida, é provável que não estivéssemos mergulhados no charco da corrupção.

Seguidor da máxima Aristotélica de que a Política é a “arte das artes”, Marco Maciel desenvolveu a singular capacidade de atentar para o que não estava manifesto e se antecipar aos fatos.



Para ele, a soma de ideias e ações era o fio condutor da transformação da sociedade. Não surpreende, pois, a defesa ardorosa não apenas da reforma política, mas da reforma institucional como a reforma das reformas ou a mãe de todas as reformas, expressões, atualmente, bastante difundidas.

DISCURSO

De modo a validar sua visão antecipatória, transcrevo trecho do discurso pronunciado em 15 de março de 2005, no Senado, em comemoração à passagem dos vinte anos da fundação da Nova República: “Depois de consolidada entre nós a democracia como processo, é indispensável mudar o sistema eleitoral para que o voto deixe de ser ‘fulanizado’; vertebrar verdadeiros partidos como canais de interlocução entre a sociedade e o Estado; aperfeiçoar o sistema de governo para melhorar o desempenho dos Poderes e seu relacionamento no modelo presidencialista que praticamos; redesenhar o Estado Federal para compatibilizá-los com as exigências de descentralização; e, finalmente, revigorar as instituições republicanas, isto é, ‘republicanizar’ a República, para eliminar a incerteza jurídica e assegurar a todos plena cidadania”.

Não fosse a enfermidade que comprometeu seriamente sua saúde, Marco Maciel estaria inteiramente dedicado à vida pública, buscando caminhos para a saída da profunda crise que atormenta o Brasil.

Gustavo Krause é ex-governador de Pernambuco


Recomendados para você


Comentários

Por JOSÉ LIRA,23/07/2017

Apoiadores do regime militar não fazem falta.

Por EDWIN,23/07/2017

Não faz falta nenhuma.este Senhor, representou o atraso de Pernambuco.foi Governador biônico. eleito na ditadura.não trouxe nada ao nosso estado.já o conterrâneo amigo ditador Antônio "malvadeza' Magalhães.levou tudo para a Bahia.que Marco Maciel,viva da sua gorda aposentadoria e siga a sua vida de mamatas.

Por Alexandre,23/07/2017

Gustavo, será?! Falta faz você - VOLTE ! ao invés de divagar reassuma sua liderança em um novo partido longe das amarras da Ditadura envergonhada e embasada na tua própria tragetória.

Por jorge marcos,23/07/2017

Discordo do ex governador Krause, naquela época ,havia uma pífia ideologia, mais existia, Marco Maciel, você (krause) Roberto Magalhães, Joaquim Francisco e outros, cuja honra e caráter, orgulhavam Pernambuco. Porém a política na sua essência, era (a praticada em Pernambuco )de compadre, os avanços sociais, foram uma negação, a educação, uma tragédia, Pernambuco por anos, viveu nas sombras ou melhor dizendo,na barra da saia da região sul e sudeste. Então me desculpe ex governador, a contribuição política de Marco Maciel e companhia, foi mera conveniência.

Por José Nunes,22/07/2017

Ah! Dr. Gustavo...o tempo é implacável com os grandes homens também. Dr.Marco Antônio Maciel, é um dos últimos cardeais da política com "P" maiúsculo desse país ainda vivo. A esperança está na renovação com nomes e pensamentos como o de Priscila Krause.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM