Jornal do Commercio
política política
  • Tamanho do texto:
  • A-
  • A+

mensalão

Revisor segue Barbosa e condena Pedro Corrêa

Ricardo Lewandwski votou pela condenação do ex-presidente do PP pelo crime de corrupção passiva

Publicado em 20/09/2012, às 18h25

Da Agência Estado

 / Foto: José Cruz/ABr

Foto: José Cruz/ABr

O revisor do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, acompanhou o relator, ministro Joaquim Barbosa, e votou pela condenação de Pedro Corrêa, ex-presidente do PP, pelo crime de corrupção passiva. Lewandowski vai analisar agora a acusação de lavagem de dinheiro contra o mesmo político.

O ministro iniciou seu voto fazendo um resumo sobre a posição majoritária do plenário sobre as condenações anteriores por corrupção passiva de Henrique Pizzolato, ex-diretor do BB, e do deputado João Paulo Cunha (PT-SP). Ele tinha votado por absolver o petista e foi acompanhado apenas por Dias Toffoli.

Lewandowski citou trechos do voto dos colegas para afirmar que, com a decisão tomada no item anterior, a Corte tornou "mais abrangente" as hipóteses de enquadramento de réus no crime de corrupção passiva. Observou que passaria a não ser mais necessário descrever qual ato de ofício foi ou poderia ser praticado em razão de recebimento de propina. Disse que se dobraria à "nova jurisprudência" e passaria a usar isso em seus votos, iniciando já por Pedro Corrêa. "Em respeito à premissa da maioria dos integrantes da Corte, parto para ter como comprovada a prática de Pedro Corrêa, uma vez dispensada a prática de ato de ofício que esse deveria praticar", disse o revisor.

O ministro observou que Corrêa não votou em duas das decisões no Congresso que teriam sido alvo da compra de apoio, a reforma tributária e a Lei de Falências, mas disse que diante do entendimento mais abrangente condenaria o réu. Destacou que ficou comprovada a destinação de recursos do valerioduto para o ex-presidente do PP e que, por isso, o condena pela prática de corrupção passiva.

Palavras-chave

imprima
envie para um amigo
reportar erro

Comentários

Por Rafael,21/09/2012

Caro leitor França de Cajueiro, o Ex-dep. Federal Pedro Corrêa, ainda não morreu, continua 'VIVINHO DA SILVA', inclusive apoiando o candidato Humberto Costa, pois ele é do PP de Maluf, e tem uma filha Dep. Federal por São Paulo, Aline Corrêa, e um genro que é Dep. Federal por Pernambuco, Roberto Teixeira. Ele está é na sua belíssima fazenda em Brejo da Madre de Deus - PE, e talvez tenha morrido politicamente.

Por frança de cajueiro,21/09/2012

" Condenar quem já morreu, é fácil ! Quero ver é condenar os ladrões vivos e expertos que roubaram a nação. "

Comentar


nome e-mail
comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

Fotos do dia

Em protesto, ônibus param em fila e passageiros ficam à espera
Foto: Diego Nigro/JC Imagem

> JC Imagem

Em protesto, ônibus param em fila e passageiros ficam à esperaParalisação dos ônibus formou engarrafamento na Avenida Agamenon MagalhãesParadas na Avenida Agamenon Magalhães ficaram lotadas no início desta manhãParadas na Avenida Agamenon Magalhães ficaram lotadas no início desta manhãParadas na Avenida Agamenon Magalhães ficaram lotadas no início desta manhã

Colunas JC

Pinga-Fogo

Pinga-Fogo

Sheila Borges

A cena política pernambucana

Campus Party

Campus Party

Renato Mota

Tudo o que rola no acampamento geek

Toques

Toques

José Teles

Tudo é música

JC nas Ruas

JC nas Ruas

Jorge Cavalcanti

Os problemas da comunidade

Especiais JC

A história de mim A história de mim
Especial do JC mostra a história de todos nós.
Especial Ariano Suassuna Especial Ariano Suassuna
Veja caderno especial publicado no JC no dia seguinte à morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna
Facebook Twitter RSS Youtube
Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM