Jornal do Commercio
Sem alarde

Câmara ganhará novo prédio em Brasília por R$ 44,7 milhões

As obras começaram em abril de 2014 e vão abrigar os almoxarifados e alguns setores administrativos

Publicado em 11/03/2017, às 09h20

Com o crescimento do número de partidos, comissões e assessores nos últimos anos, o espaço físico se tornou um dos principais problemas da Câmara / Foto: Reprodução/ Câmara dos Deputados
Com o crescimento do número de partidos, comissões e assessores nos últimos anos, o espaço físico se tornou um dos principais problemas da Câmara
Foto: Reprodução/ Câmara dos Deputados
Estadão Conteúdo

Sem alarde, a Câmara dos Deputados deverá concluir em agosto a construção de um novo prédio em Brasília, obra que terá custo final de R$ 44,7 milhões. As obras começaram em abril de 2014 e vão abrigar os almoxarifados e alguns setores administrativos.

Chamado de Centro de Gestão e Armazenamento de Materiais (Ceam), o novo prédio também vai acomodar órgãos de apoio, como setores do Departamento de Material e Patrimônio e da Polícia Legislativa. A ocupação do prédio se dará em seis meses, após a instalação da infraestrutura de informática, do sistema de segurança e do mobiliário.

O edifício fica distante do entorno do Congresso Nacional, numa área administrativa do Distrito Federal conhecida por concentrar concessionárias de veículos, indústrias e atacados. O terreno antigamente comportava três galpões da década de 60 que estavam mal conservados e, por isso, a Câmara optou por substituir a velha estrutura por um novo prédio.

Segundo a assessoria de imprensa da Casa, os espaços na Câmara deixados pelos setores que serão transferidos para o novo prédio vão abrigar outros setores. Estudos estão sendo feitos para priorizar as áreas que serão desocupadas para atividade legislativa.

 

Parlashopping

Com o crescimento do número de partidos, comissões e assessores nos últimos anos, o espaço físico se tornou um dos principais problemas da Câmara. Na gestão do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a Casa desengavetou o projeto de construção de um novo anexo, que previa espaço para gabinetes e até lojas. 

Batizada de Parlashopping, a obra custaria R$ 1 bilhão. Parte dos recursos sairia do dinheiro arrecadado em 2007 com a venda da folha de pagamento dos servidores. O projeto do Parlashopping, entretanto, foi abandonado pelo atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

Além dos R$ 44,7 milhões da obra civil do Ceam, foi gasto R$ 1,095 milhão com o serviço de instalação de equipamentos elétricos para subestação de energia. Também foram pagos R$ 664 mil com o projeto de fundações, estruturas e instalações e mais R$ 8 mil com consultoria para identificação da eficiência energética do prédio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Crise, que crise !!!,11/03/2017

Enquanto temos 14 milhões de desempregados, outros tantos sem FGTS depositado, outros tantos sem receber 13º, ou só Deus sabe quando receberá o salário, estes pilantras que se servem da politica partidaria não sabem o que é crise, a crise só existe para quem é assalariado, para o cidadão, trabalhador e contribuinte, pra estes sim que sustentam os que se serve da politica partidaria, não vamos muito longe não, enquanto o desemprego, e a falta de dinheiro rola solta, os Deputados da ALEPE também tem seus mimos, graças a nós, seus patrões, ora vejamos, fora o plenarinho, ainda tem uma tV que serão instaladas dentro dos ônibus, para nos comunicarem que somos contribuintes e eleitores otários.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM