Jornal do Commercio
TRANSPOSIÇÃO

'Mérito de Lula, que conhece a realidade', diz Armando Monteiro sobre Transposição

Declaração foi concedida durante o programa Resenha Política, na tarde desta sexta-feira (17)

Publicado em 17/03/2017, às 16h21

Sobre a participação de Temer no projeto, o senador declarou que o presidente apenas seguiu as obras, por uma questão de racionalidade / Foto: Reprodução/Facebook
Sobre a participação de Temer no projeto, o senador declarou que o presidente apenas seguiu as obras, por uma questão de racionalidade
Foto: Reprodução/Facebook
JC Online

O senador e ex-ministro Armando Monteiro (PTB) afirmou que o mérito da obra de Transposição do Rio São Francisco é do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A declaração foi concedida durante entrevista no programa Resenha Política, na tarde desta sexta-feira (17).

Segundo Armando, foi Lula quem tirou a obra do papel e a tornou irreversível, para que a ex-presidente Dilma (PT) desse continuidade. Para ele, o presidente Michel Temer (PMDB) apenas finalizou alguns pontos do projeto.

"O mérito da Transposição é de Lula. Foi dele a iniciativa, ele quem tirou do papel, fez irreversível. Dilma assumiu com 40% feito, saiu com 90%, ela deu continuidade. Quero deixar claro o tributo do meu reconhecimento ao Lula. Governar é a penosa arte de eleger prioridades e ele, que saiu do Nordeste tangido pela seca, conhece a realidade", afirmou Monteiro. 

Sobre a participação de Temer no projeto, o senador declarou que o presidente apenas seguiu as obras, por uma questão de racionalidade.

"Temer concluiu a Transposição até por um imperativo de racionalidade. Ele pegou com 90% feito e fez esforços para concluir", disse. 

Disputa

Temer e o PT disputam a paternidade da obra de Transposição do Rio São Franciso. Enquanto os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff publicaram notas para reivindicar o mérito pela transposição das águas, o peemedebista usou o seu porta-voz, Alexandre Parola, para falar dos investimentos feitos "nos últimos 10 meses", em uma tentativa de mostrar que é seu governo quem vai entregar a obra.

Como tem feito desde que essa disputa começou, Lula recorreu às redes sociais para ressaltar que a obra começou na sua gestão. Na publicação do último dia 9 deste mês, ele escreveu que muitos diziam que a transposição era algo impossível, "até que Lula foi lá e fez", destacando que os trabalhos começaram em 2007, quando ele estava no primeiro ano do seu segundo mandato.

Dilma, em seu site, voltou a apresentar números para destacar que a maior parte dos investimentos foi feito no período petista "Os governos Lula e Dilma empenharam 92,40% e pagaram 87,50% da execução do projeto de integração do São Francisco, antes do golpe de 2016", diz a nota. Na última terça (14), ela havia dito que 86,3% das obras estavam concluídas até abril do ano passado, um mês antes de Dilma ser afastada da Presidência.

Na noite do dia 3 deste mês, o porta-voz de Temer convocou jornalistas para fazer um pronunciamento, que além de detalhar o trajeto do presidente na viagem de inauguração, que será nesta sexta-feira (10), e os benefícios da obra, destacou que foram investidos R$ 602 milhões nos últimos 10 meses. Contando o período em que ficou como interino, Temer está no comando do governo desde o dia 12 de maio do ano passado, o que dá quase 10 meses.

"Graças a isso, foi possível concluir os 217 quilômetros do Eixo Leste, entregar três das suas seis estações de bombeamento e instalar outras estruturas que estão trazendo as águas do São Francisco a municípios de Pernambuco e da Paraíba", afirmou Parola.

Temer vai nesta sexta (10) às cidades de Campina Grande e Monteiro, na Paraíba, e Sertânia, em Pernambuco. Em Campina Grande, ele visita o Complexo Multimodal Aluízio Campos e assina ordem de serviço para adequação de capacidade da BR-230, com investimento estimado de R$ 255 milhões. Depois, em Monteiro, ele participa de evento para celebrar a chegada das águas do rio São Francisco à Paraíba. As cerimônias em Sertânia e em Monteiro marcam a entrega do chamado Eixo Leste do Projeto de Integração do rio.

Conclusão

As obras, no entanto, ainda não estão completamente concluídas. O porta-voz disse que o governo espera concluir ainda neste ano as obras do Eixo Norte, que já apresentam 94,52% de execução. "A finalização desse trecho permitirá levar água até a região metropolitana de Fortaleza, beneficiando municípios no Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Uma vez totalmente concluído, o projeto São Francisco garantirá a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas no Nordeste", afirmou.

Recomendados para você


Comentários

Por Alice,17/03/2017

O mérito é do povo que pagou impostos, viu esses dois indivíduos gastar rios de dinheiro e só aparecer por lá em época de pedir votos. Lula e Dilma viram oportunidades de enganar o povo para votar neles. Mérito eles teriam se tivessem terminado a obra.

Por Machado Freire,17/03/2017

A transposição é uma obra complexa, cheia de detalhes e problemas. Vai demorar e custará muito dinheiro apra que ela atinja, pelo menos, 60% dos seus objetivos. Imagine a quantidade de cidades, distritos, vilas, sitios e fazendas que esperam por ma "pena dágua". Se Lula e Dilma são os pais da Transpolosição, quem são os "padrastos" da Ferrovia Trnsnordestina, uma obra inacabada com apenas 49% do seu cronograma executado? Colher os louros é muito bom; assumir responsabilidade é que são outras !



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM