Jornal do Commercio
Reforma da Previdência

Reforma da Previdência: Veja o que pode mudar para os professores

De acordo com parecer do relator da Reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-BA), será mantida a idade mínima de 60 anos para os professores

Publicado em 20/04/2017, às 13h58

O tempo mínimo de contribuição será de 25 anos, o mesmo da maioria dos setores no Regime Geral da Previdência / Foto: ABr
O tempo mínimo de contribuição será de 25 anos, o mesmo da maioria dos setores no Regime Geral da Previdência
Foto: ABr
Da Editoria de Política

O relator da Reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), em seu parecer lido na comissão especial que analisa a matéria na Câmara dos Deputados nesta quarta (19), manteve a idade mínima de 60 anos para professores de ambos os sexos, no serviço público e na iniciativa privada, o que é menor do que a regra geral de aposentadoria, de 65 para homens e 63 para mulheres. Na proposta enviada pelo governo, a categoria perdia as condições especiais.

Já o tempo mínimo de contribuição será 25 anos, o mesmo da maioria dos setores no Regime Geral da Previdência, exceto trabalhadores rurais, com tempo de contribuição de 15 anos. Os professores devem comprovar o tempo exclusivo de docência na educação infantil e no ensino fundamental e médio. 



Transição

No período de transição, a idade mínima do setor privado será de 48 anos (mulheres) e 50 anos (homens). No público, será de 50 (mulheres) e 55 (homens). Acrescendo-se um ano de idade a cada dois anos, até atingir a idade de 60 anos para ambos os sexos.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM