Jornal do Commercio
Delação

Delação da JBS deve atingir também Lula, Dilma, Renan e Serra, diz colunista

De acordo com informações da colunista Eliane Cantanhêde, do Estadão, delação da JBS tem poder tão destrutivo quanto o da Odebrecht

Publicado em 18/05/2017, às 22h52

Cantanhêde afirma ainda que, além de Lula, Dilma, Renan e Serra, nomes que vinham passando ilesos também serão afetados pela delação / José Cruz/Agência Brasil
Cantanhêde afirma ainda que, além de Lula, Dilma, Renan e Serra, nomes que vinham passando ilesos também serão afetados pela delação
José Cruz/Agência Brasil
JC Online
Com informações do Estadão

De acordo com a colunista Eliane Cantanhêde do Estadão, a delação realizada por diretores da empresa JBS irá afetar ainda mais políticos. Segundo a jornalista, as delações que serão divulgadas nesta sexta-feira (18) vão atingir nomes como os ex-presidentes Luis Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (PT), o ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) e o ex-chanceler e ex-presidenciável José Serra (PSDB). Ela afirma ainda que nomes que vinham passando ilesos também serão afetados pela delação.

Até o momento, os principais atingidos pela delação realizada pelos irmãos Joesley e Wesley Batista foram o presidente Michel Temer e o senador e presidente licenciado do PSDB Aécio Neves. O peemedebista foi acusado de pedir a Joesley Batista para pagar pelo silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha, enquanto Aécio teria solicitado uma quantia de R$ 2 milhões para pagar por sua defesa na Operação Lava Jato. O conteúdo dos áudios que envolvem as acusações contra Aécio e Temer já foi divulgados pelo STF.



 

Poder destrutivo da JBS é igual ao da Odebrecht

Ainda segundo Cantenhêde, o conteúdo da JBS não deve nada em relação a delação realizada pela construtora Odebrecht. A única diferença é que os executivos da empreiteira aceitaram o acordo de delação quando já estavam presos, o que limitou a capacidade de produzir novas provas. No caso da JBS, o conteúdo divulgado pela empresa está sendo gravado e servindo de pauta para o monitoramento realizado pela Polícia Federal.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por antonio diniz,23/05/2017

deixem o suposto corrupto temer de lado e o congresso com todos os seus membros, deputados e senadores, votarem as reformas que tanto necessitamos para o país voltar a crescer.

Por Magno,19/05/2017

Ha, ha, ha!!! A Castanheda e o Estadão plataram mais essa para dar uma esperança aos coxinhas para pegar Lula e Dilma. Na real, se houvesse conta no exterior do Lula e da Dilma, após mais de 3 anos de massacre midiático contra eles esses dados já teriam sido explanados. A quadrilha de corruptos que se apossou do País é representada por Temer. A queda dele é uma mera questão de tempo. Vai cair! Senão agora logo no início de junho no julgamento do TSE.

Por Jeferson,19/05/2017

Se lula e dilma ficarem de fora nesta delação tá provado que é armação contra Temer

Por jorge,19/05/2017

Tudo começou no governo Lula. O Grupo JBS era um pequeno grupo que processava proteína animal no Centro-Oeste do Brasil. Mas o Lula alçou o grupo categoria d maior processador de proteína animal do mundo e hoje a sede do grupo está no Estados Unidos da América e seus donos morando simplesmente na avenida dos milionários de Nova York, a charmosa 5ª Avenida. Esses irmãos Batista são dois bandidos.

Por helder,19/05/2017

Se todos políticos são ladrões, vamos deixar o Temer tentar melhorar alguma coisa neste país de corruptos.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM