Jornal do Commercio
PROTESTO

Motorista atropela manifestantes em protesto contra Temer em Goiás

O casal foi arrastado por alguns metros e sofreu escoriações

Publicado em 18/05/2017, às 22h10

O cruzamento onde o atropelamento ocorreu é o mesmo onde o estudante Mateus Ferreira da Silva foi agredido por um policial militar na manifestação do dia 28 de abril / Foto: Reprodução/ Google Street View
O cruzamento onde o atropelamento ocorreu é o mesmo onde o estudante Mateus Ferreira da Silva foi agredido por um policial militar na manifestação do dia 28 de abril
Foto: Reprodução/ Google Street View
Estadão Conteúdo

Um casal de manifestantes foi atropelado por uma motorista que furou um bloqueio durante marcha que pedia a renúncia do presidente Michel Temer no final da tarde desta quinta-feira (18), em Goiânia, Goiás. O caso ocorreu no cruzamento das avenidas Anhanguera e Goiás, um ponto crítico do trânsito goianiense, pouco antes das 18 horas.

Os manifestantes iniciaram o protesto por volta das 16 horas, e ele seguia pacífico. Com o bloqueio do trânsito, a motorista tentou passar à força e acabou perseguida por manifestantes revoltados. Eles desferiram murros e chutes no veículo. Imagens de câmeras de segurança do local mostram que a mulher acelerou e acabou arrastando duas pessoas que estavam na frente do carro, tentando impedir a passagem.

O casal foi arrastado por alguns metros. A jovem Andreza Carneiro, de 22 anos, ficou presa embaixo do veículo e sofreu várias escoriações. O marido dela, ainda não identificado, também saiu com escoriações. A motorista ainda deu ré, mas foi parada pela multidão de manifestantes. A mulher acabou presa e conduzida para a Central de Flagrantes da Polícia Civil. Ela teria alegado que não entendeu o que estava ocorrendo no local do bloqueio e apenas acelerou o veículo, onde seguia com um acompanhante.



Os feridos receberam atendimento médico na rua. Os são ligados ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que participou da manifestação convocada por centrais sindicais. O casal foi levado para o Hospital de Urgências de Goiânia e não corre risco de morte.

Estudante agredido

O cruzamento onde o atropelamento ocorreu é o mesmo onde o estudante Mateus Ferreira da Silva foi agredido por um policial militar na manifestação do dia 28 de abril. Na quarta-feira (17), ele voltou a ser internado no Hugo para preenchimento dos ossos do rosto que foram fraturados pelo cassetete do PM.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM