Jornal do Commercio
DELAÇÃO PREMIADA

Deputado pediu à JBS R$ 150 milhões em propina para votos contra impeachment de Dilma

Pagamento que não foi concretizado na sua totalidade foi fruto de negociação entre João Bacelar (PR-BA) e o empresário

Publicado em 19/05/2017, às 17h15

Deputado pediu apoio para a compra de votos a favor de Dilma / Foto: EVARISTO SA / AFP
Deputado pediu apoio para a compra de votos a favor de Dilma
Foto: EVARISTO SA / AFP
JC Online

Joesley Batista, dono da JBS, relata em delação premiada que a aproximação com Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda do PT, rendeu-lhe o pagamento de propina a deputado num acordo para tentar salvar Dilma Rousseff (PT) do impeachment. Conforme o documento, Guido Mantega aproximou o empresário do deputado João Bacelar, que pediu R$ 150 milhões para pagar 30 deputados que votariam contra o impedimento da petista na Câmara.

>>> Confira íntegra dos documentos

Guido Mantega solicitou ajuda de Joesley Batista para não depor na CPI do Carf, comissão da qual João Bacelar era o relator. Joesley procurou Bacelar e pediu a ajuda para Guido Mantega. O episódio resultou na aproximação entre o empresário e o deputado abrindo caminho para Bacelar solicitar ajuda contra o impeachment de Rousseff.



Negociação

Em um encontro surpresa, na casa de Joesley, Bacelar apareceu e fez a solicitação de R$ 150 milhões para pagar a 30 deputados que supostamente votariam contra o impeachment. O pedido não foi aceito na sua totalidade. O dono da JBS estava disposto a pagar apenas R$ 15 milhões a 5 deputados, R$ 3 milhões a cada um que se comprometesse a votar em favor de Rousseff. Do total negociado, Joesley pagou, até o o firmamento da delação, R$ 3,5 milhões.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM