Jornal do Commercio
Brasília

Temer diz que convocação das forças armadas foi para 'garantir manifestação pacífica'

Governo disse que só convocou as forças armadas após confirmar 'a insuficiência dos meios policiais' para controlar os protestos desta quarta em Brasília

Publicado em 24/05/2017, às 20h37

Forças Armadas vão seguir em Brasília até
Forças Armadas vão seguir em Brasília até "a "ordem" ser restabelecida", declara a nota feita pelo Planalto
AFP
JC Online

O Palácio do Planalto, através da Secretaria de Comunicação Social, emitiu uma nota afirmando que o decreto emitido pelo presidente Michel Temer que autoriza a presença das forças armadas nas ruas do Distrito Federal só será revogado após a "ordem" ser restabelecida em Brasília.

A presença das Forças Armadas foi anunciada mais cedo pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann. A decisão foi realizada após uma série de manifestações ocuparem a Esplanada dos Ministérios para protestar contra as reformas trabalhista e da Previdência, além de pedir pela saída de Temer do governo.

Após iniciar de maneira pacífica, alguns dos manifestantes entraram em confronto com policiais. Prédios de ministérios foram depredados e alguns manifestantes também atearam fogo em alguns locais ao redor da Esplanada. Segundo a presidência, o exército foi acionado "após confirmada a insuficiência dos meios policiais solicitados pelo presidente da Câmara dos Deputados", para que "o objetivo de garantir a integridade física das pessoas, proporcionar evacuação segura dos prédios da esplanada e proteger o patrimônio público".

Antes da nota enviada pela secretaria de imprensa, a assessoria de Temer divulgou uma mensagem que foi encaminhada por Temer aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB/CE). Nela, o governo justifica a convocação das forças armadas afirmando que a medida já foi adotada em alguns estados, como Amazonas, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Neste texto, Temer afirmou que sua única intenção com a decisão foi "garantir uma manifestação pacífica e não destrutiva, buscando preservar a ordem pública e a segurança das pessoas".

Confira a íntegra da nota divulgada pela Secretaria de Comunicação Social do Planalto:

Nota à imprensa

"As manifestações ocorridas em Brasília nesta data, como largamente apresentado aos meios de comunicação, produziram atos de violência e vandalismo que, lamentavelmente, colocaram em risco a vida e a incolumidade de servidores que trabalham na Esplanada dos Ministérios nesta capital federal.



Diante de tais circunstâncias, o Presidente da República, após confirmada a insuficiência dos meios policiais solicitados pelo Presidente da Câmara dos Deputados, decidiu empregar, com base no artigo 142 da Constituição Federal, efetivos das Forças Armadas com o objetivo de garantir a integridade física das pessoas, proporcionar evacuação segura dos prédios da esplanada e proteger o patrimônio público, tal como foi feito anteriormente em vários Estados brasileiros. Restabelecendo-se a ordem, o documento será revogado.

O Presidente da República ressalta que não hesitará em exercer a autoridade que o cargo lhe confere sempre que for necessário."

Secom/PR

Confira a íntegra do comunicado feito por Temer a Maia e Eunício:

"A Presidência da República, tendo em vista as manifestações que estão ocorrendo hoje, editou o decreto que “autoriza o emprego das forças armadas para garantia da lei e da ordem no Distrito Federal”, com a única intenção de garantir uma manifestação pacífica e não destrutiva, buscando preservar a ordem pública e a segurança das pessoas.

Importante mencionar que a medida encontra amparo na Constituição Federal e já foi utilizada por diversas vezes, em diversos estados da federação, atendendo pleitos dos senhores governadores. Mencionem-se os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Pernambuco (Recife), Amazonas (Manaus) e Rio Grande do Norte."


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Ricardo,25/05/2017

Não tenho nada a favor deste Temer, mas permitir a bagunça que os "manifestantes" queriam seria uma irresponsabilidade. Tem que botar as forças armadas na rua mesmo.

Por Almeida,24/05/2017

O que realmente assusta é a cara de pau da classe politica brasileira. Um bando de picaretas ladrões que assaltam a nação e sacaneiam a população . Quem se assusta com o Exercito é bandido e não a população.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM