Jornal do Commercio
INVESTIGAÇÃO

Em depoimento à PF, Joesley Batista reafirma envolvimento de Temer

Defesa do empresário garantiu que o dono da JBS apenas disse o que já se sabia em delação premiada

Publicado em 16/06/2017, às 18h08

Joesley Batista prestou depoimento à PF nesta sexta-feira (16) / Foto: Reprodução
Joesley Batista prestou depoimento à PF nesta sexta-feira (16)
Foto: Reprodução
JC Online

Um dos donos da empresa JBS, o empresário Joesley Batista, prestou depoimento à Polícia Federal (PF) nesta sexta-feira (16), no âmbito do inquérito que apura os crimes de corrupção, obstrução à justiça e organização criminosa por parte do presidente Michel Temer. Segundo a defesa do empresário, à polícia, Joesley apenas confirmou o que já havia dito em delação premiada. A versão do dono da JBS se opõe às informações apresentadas por Eduardo Cunha, em depoimento prestado na mesma ação nessa quarta-feira (14).

Conforme afirma a defesa de Joesley ao portal G1, o empresário "reforçou a verdade dita no depoimento por ocasião da colaboração, apenas a verdade dos fatos, ou seja, confirmou o que já foi dito e provado". Além do envolvimento do presidente o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), em sua delação, Joesley afirmou que Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao doleiro Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados.

No depoimento prestado nessa quarta, Eduardo Cunha disse que seu silêncio "nunca esteve à venda" e afirmou jamais ter fechado com Michel Temer qualquer tipo de negociação para se manter calado. O deputado recebeu 47 perguntas, mas se ateu a responder apenas as relacionados ao caso Temer.



No mesmo dia que Cunha, Lúcio Funaro, dolerio do PMDB, confirmou à PF, segundo O Globo, que Michel Temer tinha conhecimento dos pagamentos de caixa 2 feitos ao partido. Ex-presidente da legenda, Temer teria conhecimento de todo o esquema de pagamento ilícito para financiar campanhas, conforme teria revelado o doleiro ao fala à polícia no âmbito da Operação Patmos.

Denúncia

Todo o conteúdo dos depoimentos deverão ser usados pelo Ministério Público para apresentar a denúncia contra Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF). Rodrigo Janot deve atrasar a entrega do documento para a útima semana de junho. Para ser aceita no Supremo, a denúncia precisa antes ser aprovada na Câmara dos Deputados, que já anuncia a suspensão do recesso parlamentar para adiantar a votação.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM