Jornal do Commercio
Resposta

Temer afirma em nota que Joesley é 'bandido notório de maior sucesso'

O presidente também disse que vai processar o empresário após acusação em entrevista

Publicado em 17/06/2017, às 13h58

Temer divulgou uma nota onde afirma que entrará com a ação civil e penal contra o empresário. / Foto: Evaristo Sá / AFP
Temer divulgou uma nota onde afirma que entrará com a ação civil e penal contra o empresário.
Foto: Evaristo Sá / AFP
JC Online

O presidente Michel Temer afirmou em nota neste sábado (17) que pretende processar o empresário e sócio do grupo J&F, Joesley Batista por ter afirmado em entrevista à revista Época, que Temer lidera a "maior organização criminosa do País".

No comunicado divulgado pelo presidente, ele afirma que entrará com a ação civil e penal contra o empresário. Ele ainda diz que Joesley propagou várias mentiras durante a entrevista à revista. "Ele diz que o presidente sempre pede algo a ele nas conversas que tiveram. Não é do feitio do presidente tal comportamento mendicante", diz o texto.

De acordo com a Folha de São Paulo, o presidente acredita que o Ministério Público Federal pretende usar as declarações de Joesley para "reconstruir" a base da denúncia que será apresentada contra ele na semana que vem.

A nota ainda chama Joesley de "bandido notório de maior sucesso na história brasileira" e afirma que Joesley conseguiu enriquecer "com práticas pelas quais não responderá". O presidente ainda afirma que tomará as medidas cabíveis contra o empresário. "Suas mentiras serão comprovadas e será buscada a devida reparação financeira pelos danos que causou, não somente à instituição Presidência da República, mas ao Brasil", encerra a nota.

Entrevista de Joesley

O empresário e sócio do grupo J&F também disse durante a entrevista para à Época que o ex-presidente Lula "institucionalizou" a corrupção no país, mas que não existiu nenhuma conversa não republicana com o petista.

» 'Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil', diz Joesley Batista à Época

Outro ponto abordado com à revista foi o de que o ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), trabalhava como o "mensageiro" responsável por informar o presidente peemedebista sobre os pagamentos do sócio da J&F ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba.

Segundo defende Joesley, Geddel o procurava a cada quinze dias para obter novidades acerca da compra so silêncio de Cunha e repassar as informações para Temer.

Nota de Temer

Veja na íntegra a nota do presidente Michel Temer sobre as acusações de Joesley Batista durante a entrevista à revista Época:



Nota à Imprensa

Em 2005, o Grupo JBS obteve seu primeiro financiamento no BNDES. Dois anos depois, alcançou um faturamento de R$ 4 bilhões. Em 2016, o faturamento das empresas da família Batista chegou a R$ 183 bilhões. Relação construída com governos do passado, muito antes que o presidente Michel Temer chegasse ao Palácio do Planalto. Toda essa história de "sucesso" é preservada nos depoimentos e nas entrevistas do senhor Joesley Batista. Os reais parceiros de sua trajetória de pilhagens, os verdadeiros contatos de seu submundo, as conversas realmente comprometedoras com os sicários que o acompanhavam, os grandes téntaculos da organização criminosa que ele ajudou a forjar ficam em segundo plano, estrategicamente protegidos.

 Ao bater às portas do Palácio do Jaburu depois de 10 meses do governo Michel Temer, o senhor Joesley Batista disse que não se encontrava havia mais de 10 meses com o presidente. Reclamou do Ministério da Fazenda, do CADE, da Receita Federal, da Comissão de Valores Mobiliários, do Banco Central e do BNDES. Tinha, segundo seu próprio relato, as portas fechadas na administração federal para seus intentos. Qualquer pessoa pode ouvir a gravação da conversa na internet para comprová-lo.

 Em relação ao BNDES, é preciso lembrar que o banco impediu, em outubro de 2016, a transferência de domicílio fiscal do grupo para a Irlanda, um excelente negócio para ele, mas péssimo para o contribuinte brasileiro. Por causa dessa decisão, a família Batista teve substanciais perdas acionárias na bolsa de valores e continuava ao alcance das autoridades brasileiras. Havia milhões de razões para terem ódio do presidente e de seu governo.

Este fim de semana, em entrevista à revista Época, esse senhor desfia mentiras em série.
A maior prova das inverdades desse é a própria gravação que ele apresentou como documento para conseguir o perdão da Justiça e do Ministério Público Federal por crimes que somariam mais de 2000 mil anos de detenção. Em entrevista, ele diz que o presidente sempre pede algo a ele nas conversas que tiveram. Não é do feitio do presidente tal comportamento mendicante. Quando se encontraram, não se ouve ou se registra nenhum pedido do presidente a ele. E, sim, o contrário. Era Joesley quem queria resolver seus problemas no governo, e pede seguidamente. Não foi atendido antes, muito menos depois.

Ao delatar o presidente, em gravação que confesa alguns de seus pequenos delitos, alcançou o perdão por todos seus crimes. Em seguida, cometeu ilegalidades em série no mercado de câmbio brasileiro comprando um bilhão de dólares e jogando contra o real, moeda que financiou seu enriquecimento. Vendeu ações em alta, dando prejuízo aos acionistas que acreditaram nas suas empresas. Proporcionou ao país um prejuízo estimado em quase R$ 300 bilhões logo após vazar o conteúdo de sua delação para obter ganhos milionários com suas especulações.

Os fatos elencados demonstram que o senhor Joesley Batista é o bandido notório de maior sucesso na história brasileira. Conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no exterior com o aval da Justiça. Imputa a outros os seus próprios crimes e preserva seus reais sócios. Obtém perdão pelos seus delitos e ganha prazo de 300 meses para devolver o dinheiro da corrupção que o tornou bilionário, e com juros subsidiados. Pagará, anualmente, menos de um dia do faturamento de seu grupo para se livrar da cadeia. O cidadão que renegociar os impostos com a Receita Federal, em situação legítima e legal, não conseguirá metade desse prazo e pagará juros muito maiores.

O presidente tomará todas medidas cabíveis contra esse senhor. Na segunda-feira, serão protocoladas ações civil e penal contra ele. Suas mentiras serão comprovadas e será buscada a devida reparação financeira pelos danos que causou, não somente à instituição Presidência da República, mas ao Brasil. O governo não será impedido de apurar e responsabilizar o senhor Joesley Batista por todos os crimes que praticou, antes e após a delação.

Secretaria Especial de Comunicação Social
da Presidência da República


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Luiz Félix de freitas Silva Félix,18/06/2017

Como bem disse o Paulo, e bandido pode processar outro bandido?Nosso país está mergulhado no caos, política e economicamente. Não há um só político honesto. Em menor ou maior escala, toldos são farinha azeda do mesmo saco. Ou as Gloriosas Forças Armadas entram em ação e fuzilam todos esses bandidos ou nossa nação virará uma terra sem lei. Que ajam rápido. É o desejo supremo do assaltado povo brasileiro. Um brasileiro esperançoso. Luiz Félix.

Por Barbosinha,18/06/2017

O grande problema é que ninguém aprendeu a velha lição de Tamandaré: "O BRASIL ESPERA QUE CADA UM CUMPRA COM O SEU DEVER". Todos, sem exceção, visam tão somente seus interesses particularíssimos, pouco ou nada se importando com o destino do BRASIL. Unidos, venceríamos. Desunidos, conforme mantra do "nós" e "eles", marcharemos inexoravelmente para cair no mais profundo abismo...

Por Barbosinha,18/06/2017

Já dizia a sabedoria popular, há muito tempo: "ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de perdão". Eis aí a razão pela qual bandido pode processar colega bandido, o bandido maior que enriqueceu e escafedeu-se, com o beneplácito da justiça (minúscula mesmo, salvo Moro, ainda). E não há que falar-se em usurpação, pois quem votou na ANTA, automaticamente, votou no vice. Já dizia um sábio que conheci: "é a regra".

Por Alexandre,18/06/2017

Joesley Batista emprestou avião para Temer viajar com a família para a Bahia,comprou o silêncio de dois larápios no caso Cunha e o doleiro Funaro e agora alega que ladrão notório e ele é o que?

Por Nilton,18/06/2017

Os maiores bandidos estão dentro do congresso e senado, e você está conseguindo manipular todos com o nosso dinheiro. Não vai perde o mandato, e de quebra, ainda vai jogar milhões de pessoas na miséria com reformas absurdas, que devem estar ligadas a pagamento de propina.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM