Jornal do Commercio
Resposta

Temer afirma em nota que Joesley é 'bandido notório de maior sucesso'

O presidente também disse que vai processar o empresário após acusação em entrevista

Publicado em 17/06/2017, às 13h58

Temer divulgou uma nota onde afirma que entrará com a ação civil e penal contra o empresário. / Foto: Evaristo Sá / AFP
Temer divulgou uma nota onde afirma que entrará com a ação civil e penal contra o empresário.
Foto: Evaristo Sá / AFP
JC Online

O presidente Michel Temer afirmou em nota neste sábado (17) que pretende processar o empresário e sócio do grupo J&F, Joesley Batista por ter afirmado em entrevista à revista Época, que Temer lidera a "maior organização criminosa do País".

No comunicado divulgado pelo presidente, ele afirma que entrará com a ação civil e penal contra o empresário. Ele ainda diz que Joesley propagou várias mentiras durante a entrevista à revista. "Ele diz que o presidente sempre pede algo a ele nas conversas que tiveram. Não é do feitio do presidente tal comportamento mendicante", diz o texto.

De acordo com a Folha de São Paulo, o presidente acredita que o Ministério Público Federal pretende usar as declarações de Joesley para "reconstruir" a base da denúncia que será apresentada contra ele na semana que vem.

A nota ainda chama Joesley de "bandido notório de maior sucesso na história brasileira" e afirma que Joesley conseguiu enriquecer "com práticas pelas quais não responderá". O presidente ainda afirma que tomará as medidas cabíveis contra o empresário. "Suas mentiras serão comprovadas e será buscada a devida reparação financeira pelos danos que causou, não somente à instituição Presidência da República, mas ao Brasil", encerra a nota.

Entrevista de Joesley

O empresário e sócio do grupo J&F também disse durante a entrevista para à Época que o ex-presidente Lula "institucionalizou" a corrupção no país, mas que não existiu nenhuma conversa não republicana com o petista.

» 'Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil', diz Joesley Batista à Época

Outro ponto abordado com à revista foi o de que o ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), trabalhava como o "mensageiro" responsável por informar o presidente peemedebista sobre os pagamentos do sócio da J&F ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba.

Segundo defende Joesley, Geddel o procurava a cada quinze dias para obter novidades acerca da compra so silêncio de Cunha e repassar as informações para Temer.

Nota de Temer

Veja na íntegra a nota do presidente Michel Temer sobre as acusações de Joesley Batista durante a entrevista à revista Época:



Nota à Imprensa

Em 2005, o Grupo JBS obteve seu primeiro financiamento no BNDES. Dois anos depois, alcançou um faturamento de R$ 4 bilhões. Em 2016, o faturamento das empresas da família Batista chegou a R$ 183 bilhões. Relação construída com governos do passado, muito antes que o presidente Michel Temer chegasse ao Palácio do Planalto. Toda essa história de "sucesso" é preservada nos depoimentos e nas entrevistas do senhor Joesley Batista. Os reais parceiros de sua trajetória de pilhagens, os verdadeiros contatos de seu submundo, as conversas realmente comprometedoras com os sicários que o acompanhavam, os grandes téntaculos da organização criminosa que ele ajudou a forjar ficam em segundo plano, estrategicamente protegidos.

 Ao bater às portas do Palácio do Jaburu depois de 10 meses do governo Michel Temer, o senhor Joesley Batista disse que não se encontrava havia mais de 10 meses com o presidente. Reclamou do Ministério da Fazenda, do CADE, da Receita Federal, da Comissão de Valores Mobiliários, do Banco Central e do BNDES. Tinha, segundo seu próprio relato, as portas fechadas na administração federal para seus intentos. Qualquer pessoa pode ouvir a gravação da conversa na internet para comprová-lo.

 Em relação ao BNDES, é preciso lembrar que o banco impediu, em outubro de 2016, a transferência de domicílio fiscal do grupo para a Irlanda, um excelente negócio para ele, mas péssimo para o contribuinte brasileiro. Por causa dessa decisão, a família Batista teve substanciais perdas acionárias na bolsa de valores e continuava ao alcance das autoridades brasileiras. Havia milhões de razões para terem ódio do presidente e de seu governo.

Este fim de semana, em entrevista à revista Época, esse senhor desfia mentiras em série.
A maior prova das inverdades desse é a própria gravação que ele apresentou como documento para conseguir o perdão da Justiça e do Ministério Público Federal por crimes que somariam mais de 2000 mil anos de detenção. Em entrevista, ele diz que o presidente sempre pede algo a ele nas conversas que tiveram. Não é do feitio do presidente tal comportamento mendicante. Quando se encontraram, não se ouve ou se registra nenhum pedido do presidente a ele. E, sim, o contrário. Era Joesley quem queria resolver seus problemas no governo, e pede seguidamente. Não foi atendido antes, muito menos depois.

Ao delatar o presidente, em gravação que confesa alguns de seus pequenos delitos, alcançou o perdão por todos seus crimes. Em seguida, cometeu ilegalidades em série no mercado de câmbio brasileiro comprando um bilhão de dólares e jogando contra o real, moeda que financiou seu enriquecimento. Vendeu ações em alta, dando prejuízo aos acionistas que acreditaram nas suas empresas. Proporcionou ao país um prejuízo estimado em quase R$ 300 bilhões logo após vazar o conteúdo de sua delação para obter ganhos milionários com suas especulações.

Os fatos elencados demonstram que o senhor Joesley Batista é o bandido notório de maior sucesso na história brasileira. Conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no exterior com o aval da Justiça. Imputa a outros os seus próprios crimes e preserva seus reais sócios. Obtém perdão pelos seus delitos e ganha prazo de 300 meses para devolver o dinheiro da corrupção que o tornou bilionário, e com juros subsidiados. Pagará, anualmente, menos de um dia do faturamento de seu grupo para se livrar da cadeia. O cidadão que renegociar os impostos com a Receita Federal, em situação legítima e legal, não conseguirá metade desse prazo e pagará juros muito maiores.

O presidente tomará todas medidas cabíveis contra esse senhor. Na segunda-feira, serão protocoladas ações civil e penal contra ele. Suas mentiras serão comprovadas e será buscada a devida reparação financeira pelos danos que causou, não somente à instituição Presidência da República, mas ao Brasil. O governo não será impedido de apurar e responsabilizar o senhor Joesley Batista por todos os crimes que praticou, antes e após a delação.

Secretaria Especial de Comunicação Social
da Presidência da República


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Luiz Félix de freitas Silva Félix,18/06/2017

Como bem disse o Paulo, e bandido pode processar outro bandido?Nosso país está mergulhado no caos, política e economicamente. Não há um só político honesto. Em menor ou maior escala, toldos são farinha azeda do mesmo saco. Ou as Gloriosas Forças Armadas entram em ação e fuzilam todos esses bandidos ou nossa nação virará uma terra sem lei. Que ajam rápido. É o desejo supremo do assaltado povo brasileiro. Um brasileiro esperançoso. Luiz Félix.

Por Barbosinha,18/06/2017

O grande problema é que ninguém aprendeu a velha lição de Tamandaré: "O BRASIL ESPERA QUE CADA UM CUMPRA COM O SEU DEVER". Todos, sem exceção, visam tão somente seus interesses particularíssimos, pouco ou nada se importando com o destino do BRASIL. Unidos, venceríamos. Desunidos, conforme mantra do "nós" e "eles", marcharemos inexoravelmente para cair no mais profundo abismo...

Por Barbosinha,18/06/2017

Já dizia a sabedoria popular, há muito tempo: "ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de perdão". Eis aí a razão pela qual bandido pode processar colega bandido, o bandido maior que enriqueceu e escafedeu-se, com o beneplácito da justiça (minúscula mesmo, salvo Moro, ainda). E não há que falar-se em usurpação, pois quem votou na ANTA, automaticamente, votou no vice. Já dizia um sábio que conheci: "é a regra".

Por Alexandre,18/06/2017

Joesley Batista emprestou avião para Temer viajar com a família para a Bahia,comprou o silêncio de dois larápios no caso Cunha e o doleiro Funaro e agora alega que ladrão notório e ele é o que?

Por Nilton,18/06/2017

Os maiores bandidos estão dentro do congresso e senado, e você está conseguindo manipular todos com o nosso dinheiro. Não vai perde o mandato, e de quebra, ainda vai jogar milhões de pessoas na miséria com reformas absurdas, que devem estar ligadas a pagamento de propina.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM