Jornal do Commercio
MEIO AMBIENTE

Na China, Aloysio pede ação dos Brics e redução do aquecimento global

"Na luta contra o aquecimento global e no cumprimento daquilo que foi acordado em Paris, o engajamento dos nossos países, pelo peso específico que têm, seguramente será um fator importante na implementação desses acordos", afirmou o ministro

Publicado em 19/06/2017, às 18h24

O chanceler brasileiro disse que os Brics manifestaram
O chanceler brasileiro disse que os Brics manifestaram "muita preocupação" com a decisão dos Estados Unidos de retirar-se do Acordo de Paris para renegociar os termos de sua adesão
Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, defendeu, nesta segunda-feira (19), que os países integrantes dos Brics tenham uma atuação conjunta na adoção de medidas contra o aquecimento global. "Não podemos perder de vista que os cinco países representados no Brics representam parcela muito importante da população mundial, da produção mundial e são países que têm influência no mundo", afirmou ele, em entrevista concedida em Pequim, na China, após reunião de chanceleres dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). "Na luta contra o aquecimento global e no cumprimento daquilo que foi acordado em Paris, o engajamento dos nossos países, pelo peso específico que têm, seguramente será um fator importante na implementação desses acordos."

O chanceler brasileiro disse que os Brics manifestaram "muita preocupação" com a decisão dos Estados Unidos de retirar-se do Acordo de Paris para renegociar os termos de sua adesão. Esse acordo prevê que os países signatários adotarão individualmente metas para a redução de gases que provocam o efeito estufa.

As afirmações vieram num momento em que o Brasil era alvo de pressão na comunidade internacional pelo avanço do desmatamento e pela aprovação, pelo Congresso Nacional, de Medidas Provisórias (MPs) que reduzem o nível de proteção ambiental na Amazônia, principalmente na floresta do Jamanxim. Emendas de parlamentares apresentadas às MPs aumentaram as áreas nas quais passariam a ser admitidas atividades econômicas.



Porém, essas medidas foram vetadas nesta segunda. O presidente Temer usou sua conta no Twitter para informar, em resposta a um apelo feito pela modelo Gisele Bündchen, que vetou os pontos da MP que causaram polêmica. "Vetei hoje integralmente todos os itens das MPs que diminuíam a área preservada da Amazônia", escreveu. A informação do veto havia sido antecipada mais cedo pelo Broadcast Político.

VETOS

Os vetos eram dados como certos nos bastidores porque Temer irá esta semana à Noruega, o maior financiador estrangeiro de programas para preservação ambiental no País. Os noruegueses aportaram R$ 2,8 bilhões no Fundo Amazônia, que administra uma série de programas nas áreas de preservação ambiental e áreas indígenas.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM