Jornal do Commercio
ação do triplex

Em sentença, Moro elogia Lula pelo combate à corrupção em seu governo

O juiz Sérgio Moro diz reconhecer o mérito de Lula no fortalecimento dos mecanismos de controle "abrangendo a prevenção e repressão do crime de corrupção"

Publicado em 12/07/2017, às 16h29

Lula foi condenado nesta quarta-feira (12) a nove anos e seis meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro / Agência Brasil
Lula foi condenado nesta quarta-feira (12) a nove anos e seis meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Agência Brasil
Editoria de Política

Na sentença em condena o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a nove anos e seis meses de prisão na ação penal do triplex do Guarujá, o juiz federal Sérgio Moro diz reconhecer o mérito de Lula no combate à corrupção durante o seu governo. 

Em um trecho da sentença, Moro elogia Lula pelo "fortalecimento dos mecanismos de controle, abrangendo a prevenção e repressão, do crime de corrupção", especialmente em investimentos dentro da Polícia Federal durante o seu primeiro mandato como presidente da República, além do fortalecimento da Controladoria Geral da União e da preservação da independência do Ministério Público Federal (MPF). 

"É certo que não se trata de exclusiva iniciativa presidencial, já que o enfrentamento à corrupção é uma demanda decorrente do amadurecimento das democracias, mas o mérito da liderança política não pode ser ignorado", diz o juiz na sentença. 



Segundo Sérgio Moro, tal reforço nos mecanismos de combate à corrupção "não autoriza qualquer conclusão quanto à culpa do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos crimes que constituem objeto da presente ação penal". 

Sentença

O juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, condenou nesta quarta-feira (12) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. No entanto, o petista só será preso se condenado em 2ª instância.

Lula teria recebido propinas de R$ 3,7 milhões da OAS através de três contratos com a empreiteira e a Petrobrás, por meio de um triplex no balneário do Guarujá e através do armazenamento de bens do petista, entre 2011 2016, recebidos na época em que era presidente, em troca de "vantagens indevidas".

Leia a sentença na íntegra:

 

Confira os processos judiciais contra Lula


Recomendados para você


Comentários

Por Ednaldo Barbosa,13/07/2017

Livrai-nos também dos hipócritas e coitados como os Paulos Araujos da vida , tão pobres de pensamento . Ah , como seria bom se pensasse.Ah , pobres tolos.A propósito , é HÁ anos viu....Desde o descobrimento .Que tal aulas de História de de Português também? Pobre coitado.

Por Daniel Araujo,12/07/2017

Nem o PT, o PSDB ou o PMDB inventaram a corrupção no país. Os governos de Sarney, Collor, Itamar, Fernando Henrique, Lula, Dilma e Temer, têm seus momentos bons e ruins. O Juiz Moro foi muito sensato em sua sentença, em vários aspectos. A tendência do TRF e do STJ é minimizar a condenação nesse processo. Talvez haja condenação do processo do Sítio de Atibaia cujas provas parecem mais consistentes.

Por Paulo Araujo,12/07/2017

Faz me rir Senhora Marilia Arraes, o PT e quem vem golpeando o Brasil a anos, e que pai noso que estais no ceu livrai-nos de todos os males Amem



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM