Jornal do Commercio
Brasília

Governo liberou mais verbas para deputados que votaram a favor de Temer na CCJ, diz ONG

Levantamento foi feito pela ONG Contas Abertas. Ao todo, governo federal liberou R$ 134 milhões em emendas parlamentares em junho

Publicado em 14/07/2017, às 23h04

Deputados rejeitaram a denúncia contra Temer / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Deputados rejeitaram a denúncia contra Temer
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
JC Online

Um levantamento realizado pela ONG Contas Abertas mostra que o governo federal liberou em junho R$ 134 milhões em emendas parlamentares para 36 dos 40 deputados que votaram pela rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Os parlamentares que votaram pela admissibilidade da denúncia, por sua vez, receberam R$ 66 milhões no mesmo período, aproximadamente metade do montante recebido pelos deputados pró-Temer.

Na última quinta-feira, a CCJ recusou, por 40 votos a 25, o relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que recomendava que o plenário desse prosseguimento à denúncia de corrupção contra Temer. No mesmo dia, a comissão aprovou o relatório de Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que defendia que a denúncia fosse rejeitada. A palavra final sobre o prosseguimento do caso será dada pelo plenário da Câmara. Se pelo menos 342 deputados votarem contra o relatório de Abi-Ackel, a denúncia contra o presidente seguirá para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Emendas parlamentares são valores previstos no Orçamento e sua aplicação é definida pelo parlamentar que as recebe, desde que obedecidos critérios como o uso exclusivo em projetos e obras nos estados e municípios. Em entrevista ao portal G1, no entanto, o secretário-geral da Contas Abertas afirmou que o montante liberado em junho é “absolutamente atípico para o período”.



Entre janeiro e maio deste ano, por exemplo, o governo federal liberou em torno de R$ 102 milhões em emendas para todos os parlamentares. Em junho, foram mais de R$ 2 bilhões destinados a deputados de 27 partidos e bancadas estaduais. Apenas o PMDB, partido de Temer, recebeu R$ 284,2 milhões. Nos primeiros seis dias de julho, o governo já havia liberado mais recursos em emendas do que em qualquer um dos cinco primeiros meses do ano.

De acordo com a ONG, o deputado pró-Temer que recebeu os maiores valores em emendas no mês de junho foi Abi-Ackel, autor do parecer aprovado na CCJ. O parlamentar recebeu R$ 5,1 milhões. Em segundo e terceiro lugares estão os deputados Beto Mansur (PRB) e Carlos Marun (PMDB), ambos com R$ 5 milhões.

OUTRO LADO

Questionado sobre os valores disponibilizados para os parlamentares, o palácio do Planalto afirmou apenas que as emendas são uma imposição legal e que o governo está cumprindo a lei.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Contribuintes,16/07/2017

É exatamente para isso que candidatos à política brigam por cargos, para troca de favores entre si com o nossos impostos e enriquecimento. Se isso não for crime sonegação fiscal, contrabando e tráfico de drogas também não pode ser.

Por souza,15/07/2017

ISSO A JUSTIÇA NÃO VER, O CARA LIBERANDO VERBA PARA DEPUTADO VOTAR A FAVOR, ISSO É UMA VERGONHA PRA MIM ISSO JÁ SE CONCRETIZA COMPRA DE VOTO, EM QUE PAIS NOS ESTAMOS ISSO ESTAR UMA ZONA.

Por Monteiro,15/07/2017

Um bando de picareta, é uma escrotice

Por Sávio,15/07/2017

Se fosse um país sério............É uma vergonha



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM