Jornal do Commercio
Brasília

Governo liberou mais verbas para deputados que votaram a favor de Temer na CCJ, diz ONG

Levantamento foi feito pela ONG Contas Abertas. Ao todo, governo federal liberou R$ 134 milhões em emendas parlamentares em junho

Publicado em 14/07/2017, às 23h04

Deputados rejeitaram a denúncia contra Temer / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Deputados rejeitaram a denúncia contra Temer
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
JC Online

Um levantamento realizado pela ONG Contas Abertas mostra que o governo federal liberou em junho R$ 134 milhões em emendas parlamentares para 36 dos 40 deputados que votaram pela rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Os parlamentares que votaram pela admissibilidade da denúncia, por sua vez, receberam R$ 66 milhões no mesmo período, aproximadamente metade do montante recebido pelos deputados pró-Temer.

Na última quinta-feira, a CCJ recusou, por 40 votos a 25, o relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que recomendava que o plenário desse prosseguimento à denúncia de corrupção contra Temer. No mesmo dia, a comissão aprovou o relatório de Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que defendia que a denúncia fosse rejeitada. A palavra final sobre o prosseguimento do caso será dada pelo plenário da Câmara. Se pelo menos 342 deputados votarem contra o relatório de Abi-Ackel, a denúncia contra o presidente seguirá para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Emendas parlamentares são valores previstos no Orçamento e sua aplicação é definida pelo parlamentar que as recebe, desde que obedecidos critérios como o uso exclusivo em projetos e obras nos estados e municípios. Em entrevista ao portal G1, no entanto, o secretário-geral da Contas Abertas afirmou que o montante liberado em junho é “absolutamente atípico para o período”.



Entre janeiro e maio deste ano, por exemplo, o governo federal liberou em torno de R$ 102 milhões em emendas para todos os parlamentares. Em junho, foram mais de R$ 2 bilhões destinados a deputados de 27 partidos e bancadas estaduais. Apenas o PMDB, partido de Temer, recebeu R$ 284,2 milhões. Nos primeiros seis dias de julho, o governo já havia liberado mais recursos em emendas do que em qualquer um dos cinco primeiros meses do ano.

De acordo com a ONG, o deputado pró-Temer que recebeu os maiores valores em emendas no mês de junho foi Abi-Ackel, autor do parecer aprovado na CCJ. O parlamentar recebeu R$ 5,1 milhões. Em segundo e terceiro lugares estão os deputados Beto Mansur (PRB) e Carlos Marun (PMDB), ambos com R$ 5 milhões.

OUTRO LADO

Questionado sobre os valores disponibilizados para os parlamentares, o palácio do Planalto afirmou apenas que as emendas são uma imposição legal e que o governo está cumprindo a lei.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Contribuintes,16/07/2017

É exatamente para isso que candidatos à política brigam por cargos, para troca de favores entre si com o nossos impostos e enriquecimento. Se isso não for crime sonegação fiscal, contrabando e tráfico de drogas também não pode ser.

Por souza,15/07/2017

ISSO A JUSTIÇA NÃO VER, O CARA LIBERANDO VERBA PARA DEPUTADO VOTAR A FAVOR, ISSO É UMA VERGONHA PRA MIM ISSO JÁ SE CONCRETIZA COMPRA DE VOTO, EM QUE PAIS NOS ESTAMOS ISSO ESTAR UMA ZONA.

Por Monteiro,15/07/2017

Um bando de picareta, é uma escrotice

Por Sávio,15/07/2017

Se fosse um país sério............É uma vergonha



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM