Jornal do Commercio
STF

Cármen Lúcia nega habeas corpus a lobista ligado ao PMDB

João Augusto Rezende Henriques foi preso na Operação Lava Jato desde setembro de 2015

Publicado em 17/07/2017, às 15h39

Presidente do STF ainda não analisou um segundo pedido de habeas corpus do lobista / Foto: Agência Brasil/Arquivo
Presidente do STF ainda não analisou um segundo pedido de habeas corpus do lobista
Foto: Agência Brasil/Arquivo
Estadão Conteúdo

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, negou liberdade ao lobista João Augusto Rezende Henriques, preso na Operação Lava Jato desde setembro de 2015 e apontado por como operador de propinas ligado ao PMDB. Responsável por julgar os pedidos urgentes feitos durante o recesso, Cármen Lúcia rejeitou o pedido de habeas corpus ao alegar que faltavam documentos para analisá-lo.

Henriques apresentou também uma segunda solicitação de liberdade, que ainda não foi analisada por ela. A defesa dele requeria ao STF que anulasse as duas prisões preventivas decretadas e mantidas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Henriques foi preso em 21 de setembro de 2015 na Operação Ninguém Durma, 19.ª fase da Lava Jato.



Condenação

Em fevereiro de 2016, Henriques foi condenado a 6 anos e 8 meses de reclusão por corrupção, pelo juiz Sérgio Moro, da 13.ª Vara da Justiça Federal em Curitiba, numa ação penal sobre afretamento do navio-sonda Titanium Explorer pela Petrobras.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM