Jornal do Commercio
saúde

Audiência pública defende permanência da Hemobrás em Pernambuco

Bancada pernambucana do PT teme que nova fábrica de hemoderivados em Maringá prejudique produção em Pernambuco

Publicado em 27/07/2017, às 13h38

Participaram da audiência lideranças como o senador Humberto Costa (PT), a deputada estadual Teresa Leitão (PT), o vereador Del do Bode (PT) e o PT de Goiana / Ascom / Humberto Costa
Participaram da audiência lideranças como o senador Humberto Costa (PT), a deputada estadual Teresa Leitão (PT), o vereador Del do Bode (PT) e o PT de Goiana
Ascom / Humberto Costa
Editoria de Política

Uma audiência pública foi realizada na Câmara Municipal de Goiana, na Mata Sul, em defesa da permanência da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás) em Pernambuco. O gesto é uma reação a movimentação do ministro da Saúde, Ricardo Barros, de construir uma fábrica de hemoderivados em Maringá-PR. Participaram da audiência o senador Humberto Costa (PT), a deputada estadual Teresa Leitão (PT), o vereador Del do Bode (PT) e o PT municipal, que temem que uma nova fábrica prejudique o funcionamento da que está em construção de Goiana. 

Com cerca de 48 mil metros quadrados, a fábrica de hemoderivados em Goiana tem a gestão do plasma como um dos carros-chefes da empresa. A construção da fábrica em pernambuco começou em 2005 e a sua implantação se arrasta por vários motivos, como falta de recursos da união, denúncias de corrupção, entre outras. A fábrica está 70% concluída e está prevista para ser finalizada em 2019. A transferência da tecnologia seria feita pela empresa Baxter Internacional, parceria da Shire. 

“Ora, o governo está liberando bilhões de reais em emendas parlamentares para que deputados rejeitem a denúncia de corrupção contra Temer na Câmara. Como o ministro pode dizer que não tem os R$ 200 milhões necessários para finalizar o empreendimento no nosso Estado? Não podemos admitir esse argumento. O que falta é prioridade e atenção com o povo nordestino”, afirmou Humberto



Humberto Costa considera a movimentação como uma "tentativa de esvaziamento da Hemobrás" e uma retaliação política à Pernambuco. “A gente sabe que nos governos de Lula e Dilma existia um projeto de democratização do desenvolvimento e foi pensando nisso que trouxemos a empresa para Pernambuco. Mas o governo Temer tem feito um desmonte claro desse projeto. Isto sem falar nos interesses nada nada republicanos que estão por trás dessa possível mudança”, disse o senador.

Decisão

Nesta quinta-feira (27), a 4ª Vara Cível do Distrito Federal revogou a suspensão da Parceria para Desenvolvimento Produtivo (PDP) entre a Hemobrás e a empresa irlandesa Shire para produção do fator VIII recombinante, hemoderivado usado no tratamento de hemofílicos. A Shire entrou com pedido de liminar após o Ministério da Saúde pedir a suspensão da parceria porque o acordo seria extinto ou reestruturado. Atualmente, a pasta estuda fabricar o fator VIII em uma fábrica no Paraná, o que poderia prejudicar a participação de Pernambuco no mercado de sangue no país. Atualmente, a fábrica no Estado conta com 259 colaboradores e folha de pagamento de mais de R$ 2 milhões.

“Sem dúvida, foi uma vitória importante. A bancada de Pernambuco está toda mobilizada contra esse desmonte. Estamos unindo forças e claro que isto ajuda ainda mais a nossa luta. Por isso, precisamos continuar denunciando este descalabro ”, afirmou Humberto.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM