Jornal do Commercio
hemobrás

Humberto sobre Hemobrás: Ministro da Saúde pensa que somos idiotas

Em Audiência Pública na Alepe para discutir situação da Hemobrás, senador fez críticas a Ricardo Barros, ministros pernambucanos e governo de Pernambuco

Publicado em 07/08/2017, às 14h07

"Sinceramente, nós estamos diante de uma fronta ao nosso estado, uma afronta que o ministro faz com uma desfaçatez que eu poucas vezes vi na minha vida", disse o senador
Roberto Stuckert Filho / Divulgação
Editoria de Política

Atualizada às 17h49

O senador Humberto Costa (PT), fez duras críticas ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, que pretende construir uma nova fábrica de hemoderivados em Maringá-PR, seu reduto eleitoral, o que causaria um esvaziamento da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás), em Goiana, Mata Sul de Pernambuco. O senador discursou durante Audiência Pública realizada nesta segunda-feira (7) na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para discutir sobre a situação da Hemobrás, proposta pela deputada estadual Priscila Krause (DEM). 

"Não é como o ministro (Ricardo Barros) tenta passar, que ninguém está tomando nada de ninguém. O ministério está querendo levar para o Paraná e ela não tem nenhum valor para quem vai fazer o investimento? É claro que tem. Sinceramente, nós estamos diante de uma fronta ao nosso estado, uma afronta que o ministro faz com uma desfaçatez que eu poucas vezes vi na minha vida. Porque ele pensa que nós somos idiotas, nós vamos fazer papel de idiotas aqui?, questionou o senador.

Humberto lembrou que, enquanto ministro da Saúde, ele e o ex-governador Eduardo Campos (PSB), então ministro da Ciência e Tecnologia, brigaram para que a fábrica viesse para pernambuco. Ele também cobrou a atuação dos atuais ministros pernambucanos, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, Raul Jungmann (PPS), da Defesa, Mendonça Filho (DEM), da Educação e Fernando Filho (PSB), de Minas e Energia. "Me pergunto o que os quatro ministros desse governo vão fazer. Nós não vemos agora infelizmente nenhuma manifestação de nenhum deles para dizer que é importante ter que ficar aqui", contou. 

De acordo com a proposta para a construção da fábrica no Paraná, um consórcio seria formado entre os laboratórios públicos estaduais Butantã (SP), Tecpar (PR), a Hemobras e a empresa suíça Octapharma.



O senador considera a retirada da produção de Pernambuco uma ação política do ministro Ricardo Barros. "Sinceramente, não consigo entender a não ser por um pensamento político mesquinho, até porque a Tecpar não tem essa competência para fazer. Ela já foi barrada em mais de um projeto de PDP (Parceria para desenvolvimento produtivo) porque não tinha competência pra fazer. Só pode ser uma razão política, e se for uma razão política, Pernambuco nunca teve medo de enfrentar", pontuou Humberto. 

Governo do estado

Humberto Costa também cobrou a ação do governo de Pernambuco para assegurar a manutenção da Hemobrás. "(A Hemobrás) É uma empresa do Ministério da Saúde, é uma empresa do governo de Pernambuco. Pernambuco deu várias contrapartidas para a construção da fabrica e inclusive indica um diretor daquela fábrica. A participação do governo do estado tem que ser muito mais ativa do que está sendo até agora. Pernambuco é co-proprietário da Hemobrás, e não pode assistir esse investimento sair daqui como se não fosse nosso", contou. 

RESPOSTA

A assessoria do Ministério da Saúde afirmou, por telefone, que o ministro Ricardo Barros não informou que a fábrica da Hemobras
sairia de Pernambuco. Segundo a assessoria, em nenhum momento, o Ministério disse que ia tirar a empresa do Estado. Há, sim, uma nova proposta vai terminar a fábrica no Estado.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM