Jornal do Commercio
Polícia Federal

Diretor da PF: Servidor corrompido é a infiltração do crime no Estado

Leandro Daiello afirmou que a corrupção afeta a qualidade de serviço no Estado

Publicado em 11/08/2017, às 21h23

Leandro Daiello afirmou que corrupção deixa Estado mais caro / Foto: ABr
Leandro Daiello afirmou que corrupção deixa Estado mais caro
Foto: ABr
Estadão Conteúdo

O diretor-geral da Polícia Federal, delegado Leandro Daiello, disse nesta sexta-feira (11) que "o preço real da corrupção é o Estado mais caro".

"Afeta a qualidade de serviço", disse Daiello, em palestra na Escola de Direito da FMU, em São Paulo. O delegado falou sobre o papel da instituição que dirige e a Lava Jato.

"Quando um servidor é corrompido, é a infiltração do crime no Estado", alertou o delegado, no comando da PF há seis anos e meio.



Segundo ele, mais de 600 operações da PF estão em andamento hoje

Sobre a Lava Jato e o desmantelamento do cartel de propinas que se instalou na Petrobras entre 2004 e 2014, o diretor declarou. "Não dizemos que a Petrobras é corrupta. Pessoas que estavam lá fizeram isso", anotou, em referência a ex-diretores que acabaram condenados por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Leandro Daiello relatou que na Lava Jato, inicialmente, a Polícia Federal mirou os doleiros por meio de buscas e apreensões autorizadas pela Justiça para identificar os clientes dos operadores do mercado paralelo do câmbio. "E chegamos à Petrobras."

Operação Bidone

O diretor lembrou que a Lava Jato que chegou à estatal petrolífera não tinha esse nome, era Operação Bidone. "Mas a mídia insistiu tanto que ficou Lava Jato."


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM