Jornal do Commercio
Entrevista

'Maior bandido da história desse país', diz Haddad sobre Eduardo Cunha

O político criticou duramente o Congresso e o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso no âmbito da Operação Lava Jato

Publicado em 11/08/2017, às 09h31

Haddad fez questão ainda de descartar a ideia de ser o candidato à presidência em 2018 / Foto: Wilson Dias/ABr
Haddad fez questão ainda de descartar a ideia de ser o candidato à presidência em 2018
Foto: Wilson Dias/ABr
JC Online

O ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad participou de uma entrevista no programa Super Manhã da Rádio Jornal nesta sexta (11). O político criticou duramente o Congresso e o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso no âmbito da Operação Lava Jato.

>>> Haddad alfineta Doria e projeta eleições de 2018

>>> Haddad diz que Bolsonaro representa obscurantismo e Brasil merece mais

>>> Haddad diz que se fosse Doria não romperia confiança de Alckmin

"Os votos no Congresso Nacional foram comprados a favor do impeachment. Esse Congresso Nacional é uma vergonha, é só deixar as investigações avançarem, é só o governo não abafar a Lava Jato como 'tá' fazendo. Eduardo Cunha foi eleito presidente da Câmara com voto comprado. O maior bandido da história desse país", disse.



Haddad fez questão ainda de descartar a ideia de ser o candidato à presidência em 2018 e defendeu o ex-presidente Lula. "Espero que Lula seja candidato. Foi o maior líder mundial que enfrentou a crise de 2008, da maneira mais altiva possível. Em vez de ir pro FMI (Fundo Monetário Internacional), ele tinha US$ 350 bilhões em caixa. Isso permitiu ao Lula enfrentar a crise e chegar em 2010 crescendo 7,5% ao ano ", contou.

Haddad ainda declarou que ocorreram falhas no governo da ex-presidente Dilma Rousseff e ressaltou a atuação de Aécio Neves (PSDB-MG) no processo de impeachment , em 2016. "A Dilma no desejo de evitar o aumento da inflação e do desemprego, acabou tomando algumas medidas que comprometeram um pouco a saúde financeira do Estado. Somaram-se a alguns erros de condução da Dilma, que ela própria assume, um desejo de desestabilizar o país, vindo da oposição sobretudo do Sr. Aécio Neves. A crise atual é fruto de erros da gestão da Dilma e exacerbados pelo comportamento golpista do Aécio e do Temer".

Ouça a entrevista completa abaixo:


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por José Miguel,12/08/2017

Só mesmo um bandidão para recoonhecer outro bandidão

Por Dalmo,12/08/2017

Só o Cunha é bandido? Gostaria que o senhor falasse do seu partido, são bandidos ou santos? Quanta hipocrisia. Só os sem cérebros acreditam nesses políticos incompetentes, que fazem politicas pensando em sí próprios. ACORDA BRASIL.

Por maria dos anjos,11/08/2017

Essa gente pensa que todo muito é bobo, besta, retardado, noiado, etc. Conta outra, pra vê se alegra a gente, pq bla, bla, bla, não cola pra muita gente, que nada ganha de partidos para bater palmas pra bandidos.

Por Paulo Roberto Malty,11/08/2017

Os petralhas continuam mentindo, não aprenderam nada. Já esta provado que o maior bandido que o Brasil teve em sua historia foi LULSA e sua gang.

Por amaury moraes junior,11/08/2017

Parece que este senhor se esqueceu que o PT saqueou este país até o seu ultimo centavo e que este senhor pagou uma fortuna pelo centimetro de tinta na pista de bicicleta da paulista.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM