Jornal do Commercio
CPMI

Após resistências, PMDB indica nomes para compor CPI mista da JBS

O partido é o último partido a fazer essas indicações

Publicado em 13/09/2017, às 15h22

O líder peemedebista admitiu que não usou as doações como critério de seleção dos indicados / Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
O líder peemedebista admitiu que não usou as doações como critério de seleção dos indicados
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O líder do PMDB no Senado, Raimundo Lira (PB), indicou nesta quarta-feira (13) sete senadores para as dez vagas que o partido tem direito na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS. O PMDB é o último partido a fazer essas indicações. Lira admitiu "dificuldade" em definir os nomes já que dez senadores peemedebistas receberam doações de campanha da empresa de frigoríficos nas últimas eleições, de um total de 23 que compõe a bancada.

"Os senadores que receberam doação da JBS se sentem constrangidos não pela CPI em si, mas pelo objeto da comissão. Na realidade, o constrangimento é porque a empresa hoje tem um perfil diferente. Temos dez senadores que receberam doação da JBS, de 23 senadores da bancada", explicou. "A JBS era um ícone nacional e internacional, não tinha porque não receber doações. Agora hoje a visão da empresa é diferente", complementou.

Os indicados para vagas de titulares são: João Alberto Souza (PMDB-MA), Airton Sandoval (PMDB-SP) e Hélio José (PMDB-DF). Para as vagas de suplentes, o líder Raimundo Lira sugeriu os seguintes parlamentares: Romero Jucá (PMDB-RR), Simone Tebet (PMDB-MS), Elmano Ferrer (PMDB-PI), Dário Berger (PMDB-SC).



Dos indicados até o momento, os suplentes Tebet e Berger têm registrado no Tribunal Superior Eleitoral, entre seus receitas de campanha, valores doados pela empresa de Joesley e Wesley Batista. Raimundo Lira explicou ainda que consultou 18 senadores do partido para saber quais teriam interesse de participar da comissão.

O líder peemedebista admitiu que não usou as doações como critério de seleção dos indicados. Deixou para os parlamentares dizerem se estavam à vontade ou não para ocupar essas vagas. "Não queria ter o risco de indicar e as pessoas pedirem desligamento da CPI", argumentou.

Raimundo Lira negou também ter recebido qualquer orientação do Palácio do Planalto para definir os nomes do partido, mas admitiu que não vê problema caso o governo queria sugerir alguma mudança na composição da legenda na comissão. Até o fim desta quarta-feira, o líder deve indicar ao menos mais um nome para vaga de titular na CPMI.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM