Jornal do Commercio
Lava Jato

Depoimento mostra que Justiça e Moro não estão em busca da verdade, diz defesa de Lula

Ainda de acordo com defesa de Lula, depoimento desta quarta serviu para demonstrar que o ex-presidente jamais pediu a propriedade dos imóveis apontados nos processos

Publicado em 13/09/2017, às 20h19

O advogado disse ainda que a defesa orientou Lula a não responder às perguntas repetidas e estranhas que foram feitas ao petistas pelos procuradores do Ministério Público e pelo juiz Sérgio Moro / Reprodução
O advogado disse ainda que a defesa orientou Lula a não responder às perguntas repetidas e estranhas que foram feitas ao petistas pelos procuradores do Ministério Público e pelo juiz Sérgio Moro
Reprodução
Estadão Conteúdo

Os advogados de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins, disseram nesta quarta-feira (13) durante entrevista coletiva que o depoimento do petista nesta quarta-feira (13) ao juiz federal Sérgio Moro serviu para mostrar que a Justiça e o juiz não estão em busca da verdade dos fatos.

De acordo com a defesa, nem o Ministério Público, nem o juiz Sérgio Moro conseguiram provar que recursos oriundos da Petrobras foram usados para financiar as reformas do tríplex, no Guarujá, e do sítio de Atibaia, supostamente de propriedade do ex-presidente. "Não há prova de que recursos oriundos da Petrobras beneficiaram o ex-presidente Lula", disse Zanin.

Ainda de acordo com os advogados, o depoimento prestado por Lula hoje serviu também para demonstrar que o ex-presidente jamais pediu a propriedade dos imóveis apontados nos processos. "No processo, demonstramos que o Ministério Público não provou a base das denúncias sobre a Petrobras", disse Zanin.

"Afirmações de Palocci na semana passada são mentirosas"

O advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins, disse em entrevista coletiva nesta quarta-feira (13) que as afirmações prestadas pelo ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Antonio Palocci, em depoimento à Justiça na semana passada no âmbito de sua delação premiada, "são mentirosas".

"O presidente Lula mostrou hoje que as palavras de Palocci não têm valor", disse o advogado, para quem Lula, por não estar dando credibilidade à delação do ex-ministro petista, não se abalou com as afirmações de Palocci. "Palocci falou de encontros de Lula dos quais ele não participou. Ele busca sua liberdade e por isso suas palavras não merecem credibilidade", disse o advogado.



Perguntado sobre como recebeu a afirmação do ex-ministro de que Lula teria feito um "pacto de sangue" com os donos da Odebrecht, Zanin disse que a expressão foi uma coisa ensaiada por Palocci para dar repercussão e que ela estava no meio das anotações do ex-ministro. "Se existe um pacto de sangue é entre Palocci e a Operação Lava Jato", ironizou Zanin.

Orientações

O advogado disse ainda que a defesa orientou seu cliente a não responder às perguntas repetidas e estranhas que foram feitas ao petistas pelos procuradores do Ministério Público e pelo juiz Sérgio Moro.

"O presidente estava ali para esclarecer os fatos e não para ficar respondendo perguntas repetidas", disse Zanin ao ser questionado sobre o porque de Lula não ter respondido algumas perguntas e se isso era parte de uma estratégia, de não responder a Moro e tentar levar o processo para a Justiça Federal da quarta região de Porto Alegre.

"O ex-presidente respondeu a todas as perguntas que estavam no processo pelo qual depôs hoje", disse Zanin. Ele falou também que orientou Lula a não responder perguntas sobre temas que não estavam no processo. Zanin também falou que Lula foi orientado a não responder perguntas baseadas em documentos apócrifos, sem origem e adulterados e que pediu à Justiça à autenticidade dos tais documentos.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM