Jornal do Commercio
Resposta

Palocci calado era virtuoso, agora é calculista, reage defesa de ex-ministro

Declaração foi uma resposta ao depoimento de Lula. Para defesa de Palocci, 'Lula muda os adjetivos com relação às pessoas a mercê da conveniência dele'

Publicado em 13/09/2017, às 20h02

Na semana passada, Palocci afirmou que a Odebrecht realizou um repasse de R$ 300 milhões para o governo petista e para Lula / Agência Brasil
Na semana passada, Palocci afirmou que a Odebrecht realizou um repasse de R$ 300 milhões para o governo petista e para Lula
Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O advogado Adriano Bretas, que defende o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda/Casa Civil - Governos Lula e Dilma), reagiu ao depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (13). Segundo o defensor, "Lula muda os adjetivos com relação às pessoas a mercê da conveniência dele".

"Enquanto o Palocci mantinha o silêncio, ele era inteligente, virtuoso. Agora que ele começou a falar a verdade, passou a ser tido e havido como uma pessoa calculista, dissimulada. Dissimulado é ele que nega tudo aquilo que lhe contraria", afirmou Bretas.

Na semana passada, Palocci rompeu o silêncio, fez um relato devastador e entregou o ex-presidente, a quem atribuiu envolvimento com o que chamou de "pacto de sangue" com a empreiteira Odebrecht que previa repasse de R$ 300 milhões para o governo petista e para Lula.



Depoimento de Lula

Nesta quarta-feira (13) foi a vez de Lula prestar depoimento. "Eu achei que o Palocci tá preso há mais de um ano, o Palocci tem o direito de querer ser livre, tem o direito de querer ficar com o pouco do dinheiro que ele ganhou fazendo palestra, ele tem família. Tudo isso eu acho. O que não pode é se você não quer assumir a tua responsabilidade pelos fatos ilícitos que você fez, não jogue em cima dos outros", afirmou o petista.

Segundo a defesa do ex-ministro, "Lula muda os adjetivos com relação às pessoas a mercê da conveniência dele".

"Ou seja, enquanto o Palocci mantinha o silêncio, ele era inteligente, virtuoso. Agora que ele começou a falar a verdade, passou a ser tido e havido como uma pessoa calculista, dissimulada. Dissimulado é ele que nega tudo aquilo que lhe contraria. Quando os documentos são apresentados perante ele , os documentos são falsos. Quando as provas são apresentadas perante ele, as provas são mentirosas", disse o advogado.

"Quando as evidências são apresentadas, as evidências não existem. Basta dizer que ele chegou a ter a pachorra, pasme, que se encontra muito raramente com o Palocci, a cada 8 meses. Só faltou dizer que não conhecia o Palocci. Então, eu só devolvo para ele os adjetivos, os atributos que ele tentou inculcar no meu cliente."


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM