Jornal do Commercio
PSDB

'Foi uma decisão pessoal', diz Goldman sobre saída de Bruno Araújo

A decisão de Araújo de sair do Ministério das Cidades pegou de surpresa os principais quadros do PSDB, entre eles Goldman e o ministro Aloysio Nunes

Publicado em 13/11/2017, às 20h44

"Foi uma decisão pessoal dele, até porque o PSDB não indicou nenhum ministro", disse Goldman sobre Bruno Araújo
Foto: George Gianni/ PSDB
Estadão Conteúdo

O presidente interino do PSDB, Alberto Goldman, disse ao Estado/Broadcast que a decisão do tucano Bruno Araújo (PE) de deixar nesta segunda-feira (13), o Ministério das Cidades foi "pessoal".

"Foi uma decisão pessoal dele, até porque o PSDB não indicou nenhum ministro. O partido decidiu ajudar o governo nas reformas e medidas estruturantes que o País precisa. E vai continuar da mesma forma, seja com quatro ou nenhum ministro".

A decisão de Araújo pegou de surpresa os principais quadros do partido, entre eles Goldman e o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, que está em Roma em viagem oficial. Segundo aliados, Nunes não planeja seguir o caminho de Araújo por ora, e deve permanecer no cargo pelo menos até abril, quando deve disputar a reeleição ao Senado.

Araújo era um dos quatro ministros do PSDB

Araújo era um dos quatro ministros tucanos no governo. Desde a votação da segunda denúncia, partidos do Centrão vinham pressionando Temer por uma reforma ministerial que lhes desse mais espaço no governo e excluísse os tucanos do alto escalão, em troca de aprovar projetos de interesse do governo como a reforma da Previdência. Pelo seu gordo orçamento, o Ministério das Cidades era um dos principais objetivos da base aliada.



Em entrevista à "GloboNews", Bruno Araújo disse que conversou "com diversos quadros do partido" antes de tomar uma decisão. "Não foi decisão partidária, mas um movimento meu sintonizado com a compreensão política que tenho do momento", disse Araújo.

O deputado e ex-ministro tomou a decisão em meio a uma crise no PSDB, após a destituição do então presidente interino da sigla, Tasso Jereissati, pelo senador Aécio Neves, presidente afastado do partido. Após sua saída, Araújo disse ao Estado/Broadcast que vai se dedicar para tentar ajudar o PSDB a resolver a crise interna. "Vou descansar alguns dias e depois mergulhar e me dedicar para trabalhar pela unidade do PSDB", disse.

Com a saída de Tasso, Goldman assumiu interinamente o comando do partido até a convenção nacional tucana, no dia 9 de dezembro, quando será escolhido o novo presidente do PSDB.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM