Jornal do Commercio
DECISÃO

Investigação contra irmã e primo de Aécio continuará no STF

Andréa Neves e Frederico Pacheco foram denunciados pelo crime de corrupção passiva em junho, ao lado do senador tucano

Publicado em 14/11/2017, às 15h55

Andréa Neves, irmã de Aécio, foi denunciado junto com o senador / Foto: Divulgação
Andréa Neves, irmã de Aécio, foi denunciado junto com o senador
Foto: Divulgação
JC Online

A primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta terça-feira (14), manter no Supremo a investigação contra a irmã e o primo do senador Aécio Neves (PSDB-MG) por suposta prática dos crimes de corrupção passiva e obstrução de investigação de infração penal que envolva organização criminosa. Para a maioria dos ministros, neste momento, o desmembramento prejudicaria o andamento das investigações.

O ministro Marco Aurélio, relator do inquérito, havia determinado a remessa à primeira instância das investigações relativas a Andréa Neves da Cunha, Mendherson Souza Lima, e Frederico Pacheco de Medeiros por considerar que, em processo criminal, o STF tem competência restrita, devendo processar e julgar unicamente autoridades com prerrogativa de foro.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) recorreu da decisão (interpôs agravo regimental), por entender que haveria prejuízo às investigações, pois elas se referem a um único fato supostamente delituoso – a solicitação de R$ 2 milhões a Joesley Batista para ajudar a pagar a defesa de Aécio Neves em investigações da Operação Lava Jato.



O ministro Luís Roberto Barroso, a ministra Rosa Weber, o ministro Luiz Fux e Alexandre de Moraes votaram pelo não desmembramento do caso.

Denúncia

Andréa Neves, irmã de Aécio, Frederico Pacheco, primo dele, e Mendherson Lima, assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), foram denunciados pelo crime de corrupção passiva em junho, ao lado do senador tucano, que também foi acusado formalmente do crime de obstrução à investigação de organização criminosa.

 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM