Jornal do Commercio
STF

Gilmar Mendes: 'Quem decide habeas corpus tem que nadar contra a corrente'

Ministro do STF, Gilmar Mendes tem se tornado famoso por decisões polêmicas como a ordem de soltar o empresário Jacob Barata Filho

Publicado em 04/12/2017, às 10h44

Ministro do STF, Gilmar Mendes tem tomado decisões polêmicas / Foto: ABr
Ministro do STF, Gilmar Mendes tem tomado decisões polêmicas
Foto: ABr
Estadão Conteúdo

Em seminário em Brasília sobre "ativismo judiciário", o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que juízes se deixam influenciar pela mídia ao decidir e deixam a lei de lado. Responsável por decisões que retiraram da prisão preventiva uma série de investigados nos desdobramentos da Lava Jato no Rio de Janeiro, Mendes afirmou que "quem decide habeas corpus tem que nadar contra a corrente em determinados momentos".

"Quem decide reconhecendo direitos, é óbvio que está decidindo a mais das vezes contra a opinião pública. É evidente. Os direitos fundamentais em geral, a sua segurança, a sua garantia, se faz às vezes de forma mal compreendida", disse Gilmar Mendes no "Seminário Independência e Ativismo Judicial: Desafios Atuais", promovido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O ministro afirmou que, ao fazer-se a defesa de direitos de forma conservadora, está-se "protegendo aquele indivíduo que nos apedreja". Segundo ele, "quando se cria Estado autoritário, com excesso de prisão preventiva, se esquece que a próxima vez será daquela pessoa".

"Temos que atender a imprensa. O que ela espera de nós. Isso também é uma forma de ativismo. Eu saio da lei e deixo de adotar esses critérios. Por quê? Porque eu tenho que atender essa ânsia Isso passa a ser um grave problema também. Eu passo a ver para fora, como os outros vão me avaliar. O critério da lei eu já deixei de lado."



"Nadar contra a corrente não é apenas uma sina nossa, é nosso dever. Se nós estivermos sendo muito aplaudidos porque estamos prendendo muito ou negamos habeas corpus, desconfiemos. Nós não estamos fazendo bem o nosso job (trabalho)", afirmou.

Opinião

Gilmar Mendes afirmou, também, que "quem muda de opinião de acordo com o interlocutor obviamente não será um bom juiz". Em outubro, um colega de Mendes no Supremo, o ministro Luís Roberto Barroso, afirmou a ele que "vossa excelência vai mudando a jurisprudência de acordo com o réu".

Sobre o tema do "ativismo judiciário", discussão central do evento, Gilmar Mendes afirmou que "há um erro de conceito quando se imagina que o ativismo é sempre uma mensagem de vanguarda". "Até porque esse conceito é relacional. Ativismo em relação a que, a que tipo de política? E isso precisa ser colocado em análise. Por outro lado não podemos esquecer a que o nosso lastro, nosso ethos, está na aplicação da lei de forma independente, de forma imparcial", completou.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por celio,04/12/2017

Gilmar mendes você e o Lula é a maior vergonha desse País.

Por claudio,04/12/2017

Gilmar Mendes é quem deveria tá atrás das grades!!!!!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM