Jornal do Commercio
CÂMARA

Mansur: reforma da Previdência poderá ser votada a partir do dia 18

O deputado ressaltou que o governo conta ainda com 15 dias corridos para votar a reforma

Publicado em 07/12/2017, às 00h26

Mansur reafirmou o placar de 260 votos a favor até agora, mas ressaltou que esse número contabiliza indicações feitas pelos partidos até essa terça-feira / Agência Brasil
Mansur reafirmou o placar de 260 votos a favor até agora, mas ressaltou que esse número contabiliza indicações feitas pelos partidos até essa terça-feira
Agência Brasil
Do Estadão Conteúdo

A votação da reforma da Previdência pode "eventualmente" acabar ficando para a última semana do ano legislativo - 18 e 22 de dezembro -, admitiu no fim da noite desta quarta-feira, 6, o vice-líder do governo na Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP). Mesmo assim, ele buscou demonstrar confiança de que ainda é possível aprovar a proposta em primeiro e segundo turnos na Casa até o fim de 2017.

Mansur foi um dos participantes de jantar promovido pelo presidente Michel Temer com lideranças políticas no Palácio do Alvorada. No encontro, Temer pediu às bancadas que apresentem informações até o meio-dia desta quinta-feira, 7, ao líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), para que ele faça o "fechamento" sobre os apoios à reforma, segundo Mansur.

"Alguns partidos trouxeram suas informações das bancadas (no jantar), e outros ainda estão conversando", afirmou o parlamentar. "Com esse fechamento (de amanhã), o presidente (da Câmara) Rodrigo Maia vai ter condições de analisar se pauta já para a semana que vem ou não", acrescentou.

O deputado ressaltou que o governo conta ainda com 15 dias corridos para votar a reforma e que, dentro desse período, o trabalho para virar os votos será intenso. A intenção é ter um número de votos "bem consolidado" para garantir a vitória, disse Mansur. O placar, segundo ele, já está chegando num número positivo para que o texto possa ser pautado. "Do dia 7 de dezembro até o dia 21, que é o último dia útil (da Câmara), teremos condição de votar primeiro e segundo turno", afirmou.



Mansur reafirmou o placar de 260 votos a favor até agora, mas ressaltou que esse número contabiliza indicações feitas pelos partidos até essa terça-feira. Segundo ele, alguns partidos ainda ficaram de entregar seu placar. "Não fechei número hoje, tenho até mais", disse. Para o deputado, é importante ter entre 315 e 320 votos garantidos para que a proposta possa ser levada ao plenário com segurança.

O vice-líder do governo disse que não há resistência de um ou outro partido especificamente, mas mencionou que o PP apresentou um placar mais favorável pela reforma. Em sua visão, o PSDB também deve dar um número de votos "previsível" mesmo que não feche questão, pois a reforma faz parte do programa do partido.

Para Mansur, não há risco caso a proposta fique de fato para a última semana do Legislativo. "Precisamos é procurar votar. O mercado nacional e internacional está aguardando a reforma da Previdência, e a gente deve fazê-la", afirmou, ressaltando os indicadores positivos da economia.

Articulação

O deputado também ressaltou que é muito importante a articulação que está sendo feita com prefeitos e governadores para ampliar o apoio à reforma. O Congresso Nacional aprovou nesta quarta medidas que representam benesses de R$ 30,2 bilhões, muitas delas contemplando Estados e municípios. "É importante dizer que articulação é fundamental para que prefeitos apoiem seus deputados", afirmou Mansur.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por joao rodrigo ,07/12/2017

VOTAR A FAVOR DESSA IMORALIDADE EH COMETER SUICIDIO POLITICO! ESTAMOS DE OLHO! DESSA VEZ NÃO HAVERA PERDÃO. BASTA!

Por ryordan costa salles,07/12/2017

lixo,,, vergonha,,,,,impunidade,,,,, sujeira moral e institucional... nossos representantes negociam a vida de uma nação em troca de seus interesses eleitoreiros. Nosso povo se deixou acreditar que os favores,benesses por parte dos políticos, que não passam de obrigação inerentes as suas funções ... legislar em prol do bem comum, justifique a corrupção que tem manchado o congresso nacional. Fazem acordos, alianças, usam de coerção aos que não se alinham. Que venham as eleições pois nelas desejo que estes traidores da nação nunca mais figurem como nossos representantes..



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM