Jornal do Commercio
Estratégias

Jungmann planeja pedir doações de empresários para a segurança pública

Raul Jungmann, ministro da Segurança Pública, organizará reunião com Temer e com o PIB Nacional

Publicado em 12/03/2018, às 13h40

"Sou um ministro sem equipe, sem dinheiro e sem teto. Não é fácil!", desabafou.
Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo
JC Online

Desde que assumiu o cargo, em 27 de janeiro, o ministro da Segurança Pública Raul Jungmann aguarda a promessa do presidente Michel Temer de que haverá um remanejamento de recursos de outras áreas. Até então, como revelou ao O Globo, Jungmann não tem um direcionamento certo. "Sou um ministro sem equipe, sem dinheiro e sem teto. Não é fácil!", desabafou.

Ainda sem estrutura no ministério, Jungmann tenta agregar governadores e prefeitos e, agora, o setor privado. A proposta é conseguir financiamento dos maiores empresários do país para os projetos de segurança. Ainda segundo O Globo, o PIB nacional será convidado para uma reunião, em breve, com Temer no Palácio do Planalto para alinhar em um possível suporte à ação de redução do avanço do crime organizado.



Estratégias

"Temos várias coisas em estudo: primeiro, a proposta de criação de um fundo para receber doações dos empresários", apontou. Segundo ele, o fundo terá um conselho gestor para controlar a efetiva aplicação dos recursos. Como segundo passo, Jungmann acredita na necessidade de criar ''um cardápio de ações, programas e atividades a serem financiadas diretamente pelos empresários, sem que os recursos passem pelo setor público". Por fim, uma agenda legislativa para que o ministério possa contar com o apoio empresarial.


Recomendados para você


Comentários

Por Jailson Lima ,13/03/2018

Pedir doação aos empresários, é o recomeço da propina em ação, e favorecimento para as poderosas empresas/empresários.

Por Luiz Félix de Freitas Silva,12/03/2018

Tudo isso é uma autêntica palhaçada.Durante anos e anos as quadrilhas extremamente periculosas de Brasília saquearam os cofres públicos, deixando a Educação, Saúde e SEGURANÇA no fundo do poço e agora querem doação da iniciativa privada. PALHAÇADA!. Isso é querer fazer o povo brasileiro de idiota. Um cidadão indignado. Luiz Félix.

Por Rolds,12/03/2018

Trilhões de impostos e ainda querem mais de quem investe e produz no País. Tirar mais dinheiro de empresários e diminuir investimentos para colocar no ralo do serviço público que não produz nada para a nação. Já pensou em fazer com que os presos trabalhem para pagar a sua conta, vide exemplo de outros países. Já pensou em diminuir o tamanho do Estado, com uma simples medida, juntando municípios pequenos para diminuir a máquina corrupta e inoperante. Já pensou em pena de morte, para crime hediondos e políticos corruptos. A sociedade que trabalha não aguenta mais sustentar a parte socialista do Brasil que não produz nada, políticos, funcionários públicos, e empresas públicas de péssima produção e custo alto para o contribuinte que paga os prejuízos.

Por Conrtribuinte,12/03/2018

Será que as doações será caixa dois por fora ou por dentro? É cada uma que esses políticos propõem aos empresários. Os bandidos rodando o apurado, roubando o estoque, roubando as cargas até antes de chegar. O movimento é faturamento está horrível ninguém compra ninguém vende e ainda vem pedir DOAÇÃO. Vem pagar minha contas e pagar minha folha de pagamento.

Por saraiva,12/03/2018

AGORA VAI SO FALTA PEDIR DIMDIM AOS TRAFICANTE.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM