Jornal do Commercio
Internacional

O Brasil 'voltou para ficar', diz Temer

Temer afirmou esperar que o Bolsa Família não seja mais necessário daqui a 20 anos

Publicado em 14/03/2018, às 13h03

Temer falou que se pautou durante a gestão por responsabilidade fiscal e social, além do diálogo.

 / Foto: Evaristo Sá/AFP
Temer falou que se pautou durante a gestão por responsabilidade fiscal e social, além do diálogo.
Foto: Evaristo Sá/AFP
Agência Estado

O presidente Michel Temer disse durante abertura do Fórum Econômico Mundial sobre a América Latina, em São Paulo, que o Brasil "voltou para ficar" no contexto internacional. Ele disse ainda que "há muito otimismo no Brasil" depois que seu governo "recuperou" o País. "Lá em Davos, eu disse: O Brasil voltou. Aqui eu digo: O Brasil voltou para ficar", declarou o presidente

No discurso, o presidente voltou a falar que espera que em 20 anos o programa Bolsa Família não seja mais necessário.

"Eu não estou pregando a eliminação do Bolsa Família, estou pregando a manutenção do que estão ganhando e que haja uma evolução no tópico da responsabilidade social", destacou Temer, divulgando o programa "Progredir", anunciado para dar emprego a filhos de beneficiários do Bolsa Família.

O presidente classificou a oposição ao seu governo como "incompreensões". "Um governo que tem um ano e dez meses com muitas incompreensões, eu reconheço, mas que ao longo do tempo tirou o País da recessão e conseguiu um efeito extraordinário já reconhecido por toda a comunidade internacional", disse.

Temer falou que se pautou durante a gestão por responsabilidade fiscal e social, além do diálogo.

Alckmin

Durante discurso de abertura no Fórum Econômico Mundial sobre América Latina na capital paulista, Temer teceu elogios para o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB à Presidência da República.



Temer disse que vê em são Paulo da parte do governador um "cuidado de conectar, de juntar vários temas para conseguir os resultados positivos que obteve no Estado". "Porque governar na verdade é administrar divergências, mas não só isso, como buscar convergências, é o que temos feito no País", declarou Temer, quando se dirigiu ao governador paulista.

Ao falar sobre as medidas aplicadas pelo seu governo no Brasil, Temer disse que o teto dos gastos públicos pode permitir o equilíbrio entre receitas e despesas da União em um prazo de 10 anos. Ele classificou a medida, ao lado da reforma trabalhista e das mudanças no ensino médio, como "ousadas, mas corretas".

O presidente negou que faça um governo populista e falou que o teto de gastos é prova disso. "Não é o caso do prefeito João Doria (PSDB) e do governador Geraldo Alckmin, mas no geral o que os governos mais querem é ter liberdade ampla para os gastos mais ampliados."


Recomendados para você


Comentários

Por LYRA,14/03/2018

Compreendo que o povo brasileiro é formado em sua maioria por idiotas, como bem diz os BANDIDOS, entendam-se políticos mas, fica claro que se o LADRÃO GERAL DA NAÇÃO, CHEFE DE QUADRILHA, TRAIDOR DA PÁTRIA, GOLPISTA, Temer for mesmo candidato, não terá muitos votos, já que em uma pesquisa recente, o povo quer um presidente que não minta, não seja, corrupto, acredite em DEUS e esses não são predicativos do BANDIDO acima citado. O número de desempregados só faz crescer depois da aprovação do ESTATUTO DO EMPRESÁRIO, que ele, os BANDIDOS, chamam de reforma trabalhista, a inflação apresentada com números irreais pois, que faz feira com seu próprio dinheiro e não com o dinheiro do povo, sabe o quanto as coisas estão caras, o meliante aparece pelo menos em umas cinco denuncias de recebimentos de propinas e desvios de dinheiro público e ainda vem querer dá uma de bom moço.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM