Jornal do Commercio
Lava Jato

Aécio teria sido gravado pedindo R$ 2 milhões para dono da JBS, diz Jornal O Globo

Gravação de Aécio teria sido feita pelo próprio empresário e entregue à Procuradoria-geral da República

Publicado em 17/05/2017, às 21h09

Dinheiro teria sido pedido por Aécio para arcar com suas despesas de defesa na Lava Jato / Pedro França/Agência Senado
Dinheiro teria sido pedido por Aécio para arcar com suas despesas de defesa na Lava Jato
Pedro França/Agência Senado
JC Online

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), teria sido gravado pedindo uma quantia de R$ 2 milhões ao dono da JBS, Joesley Batista, para pagar despesas com sua defesa na Lava-Jato. A gravação teria sido realizada pelo próprio empresário e entregue à Procuradoria-Geral da República (PGR). As informações são do Jornal O Globo.

O diálogo entre Aécio e Josley teria duração de 30 minutos. O encontro entre os dois teria ocorrido no dia 24 de março no Hotel Unique, em São Paulo. Aécio teria afirmado que que contrataria o criminalista Alberto Toron para defendê-lo na Lava Jato. Um nome que já havia sido citado à Josley através da irmã e braço-direito de Aécio Neves, Andréa Neves. O empresário, então teria aceitado pagar os custos de defesa do senador mineiro.

O jornal também apresenta detalhes da reunião. Josley perguntou quem seria o responsável por pegar as malas com pagamento. "Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança", propôs o empresário.

"Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho", respondeu Aécio Neves.

Aécio, então, teria indicado o seu primo Frederico Pacheco de Medeiros, para recolher o dinheiro. Frederico foi diretor da Cemig, nomeado por Aécio Neves, e também um dos coordenadores da campanha de Aécio para presidente em 2014. O dinheiro foi entregue por Ricardo Saude, diretor de Relações Institucionais da JBS, que também é delator da Lava Jato. Quatro malas de R$ 500 mil teriam sido entregues.



PGR afirma que dinheiro entregue a Aécio não foi repassado para o advogado

No material que foi entregue na semana passada até o ministro do STF e relator da Lava Jato Edson Fachin, a PGR afirma ter elementos para garantir que o dinheiro, no entanto, não foi repassado para nenhum advogado. De acordo com o Globo, filmagens feitas pela Polícia Federal mostram que o primo de Aécio repassou as malas, ainda em São Paulo, para Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do também senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

Mendherson teria feito três viagens até Belo Horizonte para levar o dinheiro. As investigações, então, teriam revelado que o dinheiro não foi destinado para o advogado. O assessor negociou para que os recursos fosse parar na Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, de Gustavo Perrella, filho de Zeze Perrella.

Defesa

Em virtude da reportagem trazida pelo jornal o Globo, a assessoria de Aécio Neves divulgou uma nota afirmando que o senador está "tranquilo quanto à correção de todos os seus atos" e que "aguarda ter aceso ao conjunto das informações para prestar os esclarecimentos necessários".

Confira a íntegra da nota: 

Nota assessoria senador Aécio Neves

O senador Aécio Neves está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM