Jornal do Commercio
LUTO

Senadores enaltecem empenho de Lyra na luta pela democracia

Jarbas Vasconcelos e Armando Monteiro Neto destacam, em nota, a trajetória de Fernando Lyra durante a ditadura e seu papel na eleição de Tancredo Neves

Publicado em 14/02/2013, às 17h33

Jarbas relembrou dobradinha com Lyra na eleição de 1970 / Foto: Bernardo Soares/JC Imagem

Jarbas relembrou dobradinha com Lyra na eleição de 1970

Foto: Bernardo Soares/JC Imagem

Da Editoria de Política

Em notas de pesar pela morte do ex-ministro Fernando Lyra, os senadores Jarbas Vasconcelos (PMDB) e Armando Monteiro Neto (PTB), a exemplo do governador Eduardo Campos (PSB), também destacaram o papel dele no combate à ditadura. Jarbas relembrou a dobradinha que ele e Lyra fizeram na eleição de 1970, com Jarbas candidato a deputado estadual e Lyra, a federal. Armando destacou o papel de Lyra no processo de redemocratização e na eleição de Tancredo Neves pelo colégio eleitoral.

Abaixo, seguem as notas dos dois senadores:


“Tinha uma ligação histórica com Fernando, que vinha desde 1970, quando disputei a minha primeira eleição para deputado estadual e fiz dobradinha com ele, que foi eleito para a Câmara dos Deputados. Era uma amizade muito estreita, que se ampliou quando fui para Brasília em 1974 e fui companheiro dele no MDB, participando do "grupo dos autênticos". Mesmo quando estivemos em campos opostos, sempre mantivemos nosso diálogo. Fernando Lyra era um animal político, nos 40 anos de amizade que tivemos, o assunto predominante era sempre a política. Nesses tempos de mediocridade no Parlamento e na política em geral, o desaparecimento de Fernando fará uma falta muito grande a Pernambuco e ao Brasil.”

Jarbas Vasconcelos

"Fernando Lyra cumpriu de forma exemplar a sua passagem pela vida pública do país. Durante os tempos duros do regime autoritário, foi um firme combatente, que nunca deixou de levantar a voz nos momentos mais difíceis. Ao longo do processo de abertura política, desempenhou importante papel na construção da candidatura de Tancredo Neves, que inaugurou a Nova República; foi um ministro da Justiça permanentemente atento às causas da cidadania e da ampliação das liberdades democráticas. No convívio pessoal, imprimiu as marcas de sua inteligência, afabilidade e boa convivência, sempre temperados com humor e ironia. Ele deixa a todos nós um irrecusável legado. Neste momento, transmito a toda a sua família a expressão do nosso pesar e solidariedade".

Armando Monteiro Neto




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus
O JC preparou um hotsite especial em homenagem ao ator e diretor Jose Pimentel, o eterno Jesus Cristo do teatro pernambucano
Nordeste Renovável Nordeste Renovável
Com a força dos ventos e a incidência solar, o Nordeste desponta como oásis. Não só para o turismo, nem apenas no Litoral. Na geração de energia sustentável está a nova fonte de riqueza da Região, principalmente no interior
Vidas Compartilhadas Vidas Compartilhadas
O JC apresenta o mundo da doação e dos transplantes de órgãos pelas vozes de pessoas que ensinam, mesmo diante das adversidades, a recomeçar a vida quantas vezes for preciso.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM