Jornal do Commercio
Poder Legislativo

Cinco deputados cassados pela ditadura de 64 depõem na Comissão da Verdade

Em audiência, nesta terça-feira (24), parlamentares vão narrar perseguições pelo combate à ditadura e violações dos mandatos polulares

Publicado em 24/11/2015, às 07h00

Ex-presidente estadual do PMDB, Dorany Sampaio é um dos cinco parlamentares cassados que vão depor à Comissão da Verdade  / Foto: Arquivo JC Imagem

Ex-presidente estadual do PMDB, Dorany Sampaio é um dos cinco parlamentares cassados que vão depor à Comissão da Verdade

Foto: Arquivo JC Imagem

Ayrton Maciel

Três anos após a restituição simbólica de 25 ex-deputados cassados pela ditadura de 64 ao Parlamento estadual, a Comissão da Verdade Dom Helder Câmara de Pernambuco realiza, nesta terça-feira (24), a primeira audiência pública para ouvir cinco dos cassados a respeito das violações de direitos humanos dos parlamentares pernambucanos à época do regime ditatorial. Em 2012, 11 dos cassados há haviam falecido.

A partir das 9 horas, no auditório da Procuradoria da República do Ministério Público Federal em Pernambuco, na Avenida Agamenon Magalhães, 1800, prestam depoimento os ex-deputados Dorany Sampaio, Egídio Ferreira Lima (ex-deputado federal), Luiz Andrade de Lima,  Waldemar Borges Filho (Deminha) e Maurílio Ferreira Lima, cassado quando tinha o mandato de deputado federal.

Em ato simbólico, em 2012, a Assembleia Legislativa de Pernambuco devolveu o mandato de 25 deputados estaduais cassados pela ditadura militar (1964/1985). Eleitos democraticamente pelo voto popular, os parlamentares que perderam os mandatos, sem direito à defesa – a grande maioria por motivação ideológica, acusados de atentar contra o governo militar –, por determinação do regime de exceção, receberam novamente o diploma de posse, simbolizando a devolução do mandato. O projeto de lei foi de autoria do líder do governo Eduardo Campos (PSB) na Casa, o deputado Waldemar Borges (PSB), que teve o pai entre os cassados.

Com os mandatos sumariamente retirados e os direitos políticos suspensos, alguns chegaram a ter projeção nacional – pela atuação parlamentar e resistência à ditadura - e até tiveram que ir para o exílio. Entre os cassados, há nomes Sérgio Murilo Santa Cruz (PST, falecido) e Harlan Gadelha (PMDB), que também após a redemocratização se tornaram deputados federais, Geraldo Pinho Alves(PMDB, ex-prefeito de Paulista, falecido) e o ex-vereador do Recife, Liberato Costa Júnior (PMDB).

Eleitos estaduais em 1966, pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), único partido de oposição permitido pela ditadura, Egidio Ferreira Lima, Waldemar Borges Filho, Dorany Sampaio e Luiz Andrade de Lima foram perseguidos e tiveram os mandatos cassados pela atuação de enfrentamento ao regime na Assembleia Legislativa. Eleito pelo MDB, em 1968, para a Câmara Federal, Maurílio Ferreira Lima foi cassado pelo general-presidente Arthur da Costa e Silva, indo para o exílio na Argélia, mesmo destino do ex-governador Miguel Arraes.

Leia abaixo a relação de 25 deputados estaduais cassados pela ditadura militar:

1. Almany de Sá Barreto Sampaio (PST)

2. Audálio Tenório de Albuquerque (ARENA) 

3. Carlos Luís de Andrade (PSB) 

4. Cícero Targino Dantas (PST) 

5. Clóvis Jatobá da Costa Lima (PMDB) 

6. Dorany de Sá Barreto Sampaio (PMDB)

7. Egídio Ferreira Lima (PMDB)

8. Elias Libânio da Silva Ribeiro (PDC)

9. Geraldo Pinho Alves (PMDB) 

10. Gilberto de Oliveira Azevedo (PST)

11. Harlan de Albuquerque Gadelha (PMDB)

12. Inaldo Ivo Lima (PMDB)

13. Inácio Mariano Valadares Filho (ARENA)

14. José Cardoso da Silva (PST) 

15. José Ferreira de Amorim (ARENA)

16. José Inácio da Silva (ARENA)

17. José Marques da Silva (ARENA)

18. Josesito Padilha (ARENA)

19. Liberato Pereira Costa Júnior (PMDB)

20. Luís Cláudio Braga Duarte (PST)

21. Luís de Andrade Lima (PMDB)

22. Paulo Rodolfo Rangel Moreira (ARENA)

23. Sérgio Murilo Santa Cruz Silva (PST)

24. Sílvio Pessoa de Carvalho (ARENA)

25. Waldemar Alberto Borges Rodrigues Filho (PMDB)





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM