Jornal do Commercio
código disciplinar

Sargento cumpre 30 dias de detenção disciplinar por usar óculos escuros

Após crítica de Joel da Harpa (PTN), Alepe quer revisar Código Disciplinar da PM e dos Bombeiros

Publicado em 26/04/2016, às 19h02

'Esse é um Código arcaico, atrasado e que prejudica a vida dos praças', criticou Joel da Harpa (PTN) / Foto: João Bita/Alepe

'Esse é um Código arcaico, atrasado e que prejudica a vida dos praças', criticou Joel da Harpa (PTN)

Foto: João Bita/Alepe

Paulo Veras

Um sargento do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco deve passar 30 dias detido como uma punição disciplinar por ter usado óculos escuros durante o serviço. A crítica foi feita pelo deputado estadual Joel da Harpa (PTN), na sessão desta terça-feira (26) da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). A Casa agora quer criar uma comissão para revisar o código disciplinar da Polícia Militar e dos Bombeiros para tentar evitar punições deste tipo.

Segundo Joel, o sargento Galvão, que é doutor em Antropologia, usou o óculos escuros para fazer uma atividade física, mas foi orientado por um oficial a retirar os óculos. No dia seguinte, ao novamente usar o objeto para fazer suas atividades, ele acabou respondendo a um processo disciplinar dentro da corporação porque o artigo 81 do Código Disciplinar pune aquele que desobedecer ordem de algum superior.

O caso ocorreu em agosto, mas a punição só começou a ser paga nesta semana. "Esse é um Código arcaico, atrasado e que prejudica a vida dos praças", reclamou o deputado. "Um óculos escuros é algo normal que qualquer cidadão usa", disse ainda.

Por sugestão do deputado Rodrigo Novaes (PSD), a Alepe deve criar uma comissão, liderada por Joel, para ouvir os comandos da PM e dos Bombeiros e a categoria e tentar atualizar o Código Disciplinar, que é de 2000.

Ex-policial militar, o deputado Professor Lupércio (SD) também sugeriu que um grupo de deputados vá até o quartel conferir a situação do sargento e do oficial que o chefiava.

Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por samuel,11/05/2016

E o salário dele durante esses 30 dias, quem vai pagar?? O "Oficial" que deu essa ordem ridícula???? É mais um querendo aparecer!

Por João Lemos bastos,10/05/2016

Davi, não sei em qual planeta vc vive mas essa categoria já entrou em greve 3 vezes só nesse estado, isso sem contar na polícia civil, além da polícia federal. E todas elas usam armas e fazem greve.

Por ronaldo,06/05/2016

Que lei ridícula e draconiana!!! Isso é assédio MORAL e um absurdo que a humanidade não aceita. Quanta arbitrariedade!!! MILITARISMO........

Por Davi,27/04/2016

Quem não quer cumprir ordem que vire empreendedor e vá ganhar seu dinheiro feliz. No dia que hierarquia e disciplina sumirem instituições militares ruirão. Alguém imagina uma categoria que tem armas nas mãos entrar em greve?

Por JOÃO HELENO,27/04/2016

São coisas que a gente não entende, sabemos que para usarmos qualquer objeto sem autorização de superiores, somos passíveis de punição, para punir o profissional é muito rápido, agora para lutar pelos direitos dos subordinados não tem essa preocupação, que Deus nos abençoe.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Prêmio ISS Recife Prêmio ISS Recife
Principal item da receita própria dos municípios, o Imposto Sobre Serviços (ISS) entra no cofre das prefeituras tanto para custear despesas quanto para viabilizar investimentos nas cidades.
#ConexãoPelaVida #ConexãoPelaVida
Há quase dois séculos, o Real Hospital Português mantém a sua atenção voltada para o bem-estar dos pacientes. Conheça um pouco mais sobre a instituição médica que aos 162 não para de se modernizar
Agreste Empreendedor Agreste Empreendedor
O Agreste pernambucano é a região que mais cresce em Pernambuco. E, por incrível que pareça, a força motriz que puxou esse desenvolvimento foi o empreendedorismo.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM