Jornal do Commercio
PROJETO NEM CHEGOU

Liga da Justiça, 'covarde', 'balela': Reajuste da PM gera bate-boca na Alepe

Com ânimos exaltados, debate sobre reajuste da PM envolveu até Liga da Justiça e Hulk

Publicado em 06/02/2017, às 18h10

'A única saída é chamar a Liga da Justiça', afirmou o deputado Joel da Harpa (PTN), ao discutir reajuste da PM / Foto: Roberto Soares/Alepe
'A única saída é chamar a Liga da Justiça', afirmou o deputado Joel da Harpa (PTN), ao discutir reajuste da PM
Foto: Roberto Soares/Alepe
Paulo Veras

Mesmo que o projeto de Lei do governador Paulo Câmara (PSB) ainda não tenha chegado à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o reajuste da Polícia Militar (PM) dominou o embate entre governo e oposição, com bate-bocas, vozes alteradas e troca de acusações entre deputados estaduais. O Executivo propõe um reajuste em três parcelas (a última em dezembro de 2018), e incorporando gratificações como auxílio-transporte e de defesa civil; o que reduz o ganho da categoria.

Primeiro a tocar no tema, o deputado Joel da Harpa (PTN), que é militar da reserva, já subiu o tom comparando o secretário de Defesa Social, Angelo Gioia, ao ex-presidente Marechal Deodoro; e convocando a base do governo, que boicotou a sessão com a presença das associações militares da última quinta-fiera (2), para debater a proposta. "Do jeito que vai, a única saída é chamar a Liga da Justiça para resolver o problema da segurança pública: Batman, Robin, Super-homem e Hulk", ironizou.

Em seguida, o novo líder do governo, Isaltino Nascimento (PSB), defendeu a proposta, acusou as associações de PMs de se negarem a conversar com os comandantes (responsáveis pelas negociações com o governo), e lembrando o impacto de R$ 303 milhões que o reajuste terá nas contas do Estado. Em aparte, o deputado Aluísio Lessa (PSB) partiu para o embate, dizendo que a categoria descumpriu um acordo assinado de só discutir a questão salarial a partir de maio e sugerindo que os PMs querem fazer uma "discussão eleitoral".

'BRINCAR DE PRESIDENTE'

Súbito, o bate-boca passou a ser de outra ordem, quando o deputado Romário Dias (PSD) tentou usar a palavra para ceder os 15 minutos de discurso de que tinha direito a Isaltino. No início da sessão, o presidente da Alepe, Guilherme Uchoa (PDT), anunciou, após 10 anos seguidos no cargo, que seria mais rigoroso com o tempo de fala de cada parlamentar, sem permitir que os debates se estendessem, como ocorria.

"Vossa Excelência quer brincar de ser presidente!", gritou Romário, cobrando direito a palavra. Em tom ríspido, Uchoa reagiu dizendo que ninguém estava brincando. No microfone, Romário classificou como "balela" o fato de Joel ter provocado o governo que, se tivesse coragem, compareceria a uma reunião com as associações.

'CASSAR A PALAVRA'

Depois, o deputado "rebelde" Álvaro Porto (PSD) assumiu a tribuna, usando o tempo destinado ao líder da oposição, Silvio Costa Filho (PRB), e acusou a "liderança do governo" de "tentar cassar minha palavra". Pela manhã, Álvaro, que apesar de integrar um partido governista se tornou um crítico contumaz do governo Paulo Câmara, foi ao gabinete de Isaltino se inscrever para discursar, mas teve o nome retirado da lista de oradores.

À imprensa, Isaltino justificou que a escolha dos oradores seguiu uma estratégia do governo de escalar pessoas para defender a proposta da PM, já que eles sabiam que a oposição focaria o tema. Uma dessas pessoas foi o novo vice-líder Rodrigo Novaes (PSD), segnudo quem Joel e Alberisson Carlos, presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS), "disputam para ver quem radicaliza mais para ter mais votos em 2018".

'COVARDE'

Em aparte, Silvio Costa Filho cobrou respeito para com Joel, "um deputado como Vossa Excelência". Para o plenário vazio, após a votação da ordem do dia, Joel usou o tempo de liderança para dizer que ninguém decidiria como ele vai atuar em seu mandato e chamou Rodrigo de "covarde" por não ter ficado para ouvir sua resposta.

A promessa do governo é que o reajuste da PM chegue ao Legislativo ainda nesta segunda e comece a ser apreciado na próxima semana, quando todas as comissões já estarão montadas. Ainda não há previsão de quando a proposta chegará ao plenário para votação.

Recomendados para você


Comentários

Por rodoupho,08/02/2017

Parabéns PMs!!!!! Agora, por favor, prendam os rapazes vendendo celulares sem nota fiscal no Camelodromo da Avenida Dantas Barreto, entre 11 horas e 14 horas, de seg a sábado. Ficam dentro do camelodromo na altura da livraria a paulus. Ficam varios rapazes, incluindo alguns proximos aparentemente olheiros. Pode ser que entre estes esteja alguem procurado pela policia.

Por Ednaldo Barbosa,06/02/2017

E quanto ganha um professor pra formar todo esse pessoal e não ser reconhecido e ou valorizado ? Vejam os exemplos da falta de bons professores nas matérias que leem nos jornais de circulação . Erros absurdos . MAS todos os países que investiram maciçamente em professores tiveram ganhos em Pernambuco , particularmente , a situação dos mestres é caótica .

Por HUGO FALCÃO,06/02/2017

Deputado Aluisio Lessa, partiu para o embate "dissendo". Putz. Melhorem as reportagens. Sejam profissionais.

Por Covardes,06/02/2017

o governo Paulo Câmara e esses deputados governistas pagarão um preço muito alto por tudo isso!

Por Marajás X soldados,06/02/2017

Cada dep. estadual recebe do contribuinte a micharia de R$126 mil mensais, com direito a férias de 45 dias, 13º, 14º, e 15º salários, frequentam a assembléia de 2 a 3 vezes por semana, tem auxilios e beneficios de 1º mundo, dormem confortavelmente em sua camas com lençois de seda, e travesseiro de pena de ganso, só vão as ruas quando estão em busca de votos, 90 dias antes das eleições, quanto ganha um policial para arriscar sua vida e de sua familia ???



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM