Jornal do Commercio
reajuste

Paulo Câmara anuncia reajuste na jornada extra dos PMs

Com o incentivo financeiro, o governo estadual espera minar a operação padrão realizada por parte da tropa desde o ano passado

Publicado em 17/02/2017, às 08h01

Pelo decreto, a jornada extra dos praças (soldados, cabos, sargentos e subtenentes) e agentes da Polícia Civil passará de R$ 120 para R$ 200 / Foto: JC Imagem
Pelo decreto, a jornada extra dos praças (soldados, cabos, sargentos e subtenentes) e agentes da Polícia Civil passará de R$ 120 para R$ 200
Foto: JC Imagem
JC Online

O governador Paulo Câmara anunciou nesta quinta-feira (17) o reajuste dos valores do Programa de Jornada Extra de Segurança (PJES) para os militares e policiais civis. A medida visa estimular policiais e bombeiros que têm interesse em trabalhar no horário de folga, uma vez que, nas contas do Estado, permitirá que um praça aumente sua remuneração em R$ 2 mil e que oficiais, delegados e peritos tenham ganho extra de até R$ 3 mil.

Pelo decreto, a jornada extra dos praças (soldados, cabos, sargentos e subtenentes) e agentes da Polícia Civil passará de R$ 120 para R$ 200. Os oficiais da PM, delegados e peritos criminais receberão R$ 300 – atualmente é R$ 270. O programa, que custa hoje R$ 9,2 milhões mensais – passará a custar R$ 11,9 milhões.

Com o incentivo financeiro, o governo estadual espera minar a operação padrão realizada por parte da tropa desde o ano passado e, dessa forma, garantir que haja um efetivo policial maior nas ruas durante o Carnaval. A operação padrão é incentivada por lideranças das associações ligadas aos militares e um último foco de resistência em relação ao projeto de reajuste dos PMs.

A medida foi anunciada no mesmo dia em que o governador sancionou o projeto de lei aprovado esta semana pela Assembleia Legislativa, que concede reajuste das carreiras de praças e oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. A nova estrutura passa a ser integrada por subdivisões em faixas de soldos, indicando o nível de progressão no respectivo posto ou graduação.

O projeto que resultou na lei, publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, motivou um intenso debate entre governo e oposição na Assembleia Legislativa. Os oposicionistas afirmam não reconhecer a legitimidade do projeto de lei. 

“Rito observado, lei sancionada. Não sei qual era o interesse da oposição. É um grande projeto. Se olharmos em volta, nos vizinhos e mais além, não há uma valorização como essa”, assegurou Marcio Stefanni, secretário estadual de Planejamento.

Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por geraldo,17/02/2017

vamos lá. façamos as contas: R$ 120,00 dividido por 8 ( hs ), igual a R$ 15,00 a hora trabalhada, o que acontrecia, sendo que agora será R$ 200,00 para 12 ( hs ) igual a R$ 16,6666666 a hora trabalhada, em resumo a PM receberá não exatos por ser uma dízima, R$ 1, 6666666 por hora trabalhada. ganho excepcional para o GOVERNADOR.

Por Uma pedra no sapato,17/02/2017

Será que os policiais vão vender suas horas de folga e lazer com a família e ainda aumentarem o risco da profissão? Se a resposta for sim, então será verdade o ditado que "todo homem tem o seu preço". No caso dos policiais... + ou - 200 reais. Que resposta eles darão?

Por André Ramos da Silva,17/02/2017

Eita imprensa fraca... Pensem um pouco mais antes de postar algo. Vamos lá, o valor era de 120,00 para 8h, agora, 200,00 para 12h. O que aumentou????? Já sei, R$ 1,00!!!!!!!!!!!!!!!! Se vocês tiverem coragem, pois, estão censurando tudo, até porque o governo Paulo Câmara paga uma boa quantia em publicidade a vocês, publiquem isso aqui.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM