Jornal do Commercio
reajuste

Paulo Câmara anuncia reajuste na jornada extra dos PMs

Com o incentivo financeiro, o governo estadual espera minar a operação padrão realizada por parte da tropa desde o ano passado

Publicado em 17/02/2017, às 08h01

Pelo decreto, a jornada extra dos praças (soldados, cabos, sargentos e subtenentes) e agentes da Polícia Civil passará de R$ 120 para R$ 200 / Foto: JC Imagem
Pelo decreto, a jornada extra dos praças (soldados, cabos, sargentos e subtenentes) e agentes da Polícia Civil passará de R$ 120 para R$ 200
Foto: JC Imagem
JC Online

O governador Paulo Câmara anunciou nesta quinta-feira (17) o reajuste dos valores do Programa de Jornada Extra de Segurança (PJES) para os militares e policiais civis. A medida visa estimular policiais e bombeiros que têm interesse em trabalhar no horário de folga, uma vez que, nas contas do Estado, permitirá que um praça aumente sua remuneração em R$ 2 mil e que oficiais, delegados e peritos tenham ganho extra de até R$ 3 mil.

Pelo decreto, a jornada extra dos praças (soldados, cabos, sargentos e subtenentes) e agentes da Polícia Civil passará de R$ 120 para R$ 200. Os oficiais da PM, delegados e peritos criminais receberão R$ 300 – atualmente é R$ 270. O programa, que custa hoje R$ 9,2 milhões mensais – passará a custar R$ 11,9 milhões.

Com o incentivo financeiro, o governo estadual espera minar a operação padrão realizada por parte da tropa desde o ano passado e, dessa forma, garantir que haja um efetivo policial maior nas ruas durante o Carnaval. A operação padrão é incentivada por lideranças das associações ligadas aos militares e um último foco de resistência em relação ao projeto de reajuste dos PMs.

A medida foi anunciada no mesmo dia em que o governador sancionou o projeto de lei aprovado esta semana pela Assembleia Legislativa, que concede reajuste das carreiras de praças e oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. A nova estrutura passa a ser integrada por subdivisões em faixas de soldos, indicando o nível de progressão no respectivo posto ou graduação.

O projeto que resultou na lei, publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, motivou um intenso debate entre governo e oposição na Assembleia Legislativa. Os oposicionistas afirmam não reconhecer a legitimidade do projeto de lei. 

“Rito observado, lei sancionada. Não sei qual era o interesse da oposição. É um grande projeto. Se olharmos em volta, nos vizinhos e mais além, não há uma valorização como essa”, assegurou Marcio Stefanni, secretário estadual de Planejamento.

Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por geraldo,17/02/2017

vamos lá. façamos as contas: R$ 120,00 dividido por 8 ( hs ), igual a R$ 15,00 a hora trabalhada, o que acontrecia, sendo que agora será R$ 200,00 para 12 ( hs ) igual a R$ 16,6666666 a hora trabalhada, em resumo a PM receberá não exatos por ser uma dízima, R$ 1, 6666666 por hora trabalhada. ganho excepcional para o GOVERNADOR.

Por Uma pedra no sapato,17/02/2017

Será que os policiais vão vender suas horas de folga e lazer com a família e ainda aumentarem o risco da profissão? Se a resposta for sim, então será verdade o ditado que "todo homem tem o seu preço". No caso dos policiais... + ou - 200 reais. Que resposta eles darão?

Por André Ramos da Silva,17/02/2017

Eita imprensa fraca... Pensem um pouco mais antes de postar algo. Vamos lá, o valor era de 120,00 para 8h, agora, 200,00 para 12h. O que aumentou????? Já sei, R$ 1,00!!!!!!!!!!!!!!!! Se vocês tiverem coragem, pois, estão censurando tudo, até porque o governo Paulo Câmara paga uma boa quantia em publicidade a vocês, publiquem isso aqui.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM