Jornal do Commercio
Aposentadorias

Reforma da Previdência de Temer desagrada a própria base governista

Deputados André de Paula, Betinho Gomes, Daniel Coelho, Danilo Cabral e Eduardo da Fonte apresentaram emendas à proposta; OAB também é contra o projeto da gestão peemedebista

Publicado em 16/03/2017, às 06h35

Michel Temer quer aprovar Reforma da Previdência, mas projeto desagrada sua base de apoio / Lula Marques/Agência Brasil
Michel Temer quer aprovar Reforma da Previdência, mas projeto desagrada sua base de apoio
Lula Marques/Agência Brasil
Franco Benites

A proposta de Reforma da Previdência do governo Michel Temer (PMDB) não é criticada apenas pela oposição ou centrais sindicais, mas gera insatisfação na base governista. Sete deputados federais - em sua maioria de partidos aliados a Temer - apresentaram emendas ao projeto da gestão peemedebista. A proposta do governo federal ainda é condenada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O deputado federal Betinho Gomes (PSDB) apresentou três emendas. Ele quer  que a idade mínima para a aposentadoria seja diferente entre trabalhadores rurais e urbanos, propõe um tempo de contribuição total de 40 anos - em vez dos 49 defendidos por Temer - e defende que a pensão por morte não seja inferior a um salário mínimo. “A Previdência tem um papel de seguridade, de proteger as pessoas”, destaca.

Para Daniel Coelho (PSDB), autor de uma emenda,  é preciso encontrar uma terceira via.

“Hoje, há duas propostas. A da oposição, que é para manter o sistema atual, dos privilégios, e a do governo, que é o endurecimento de um sistema errado. A gente  propõe um modelo completamente novo que é para pessoas que nasceram a partir do ano 2000. Com essas pessoas, que ainda não entraram no sistema previdenciário, há condições de tratar todos de maneira igualitária porque não há direito adquirido”, afirma.

Rodrigo Maia prorroga até sexta prazo para emendas à reforma da Previdência

País não pode fazer reforma 'modestíssima' na Previdência, diz Temer em meio a protestos

Manifestação contra Reforma da Previdência ocorre no Centro do Recife

Com uma emenda apresentada, o deputado federal Eduardo da Fonte (PP) diz que se guiará segundo  sua consciência.

“São várias discordâncias, principalmente no que diz respeito à idade mínima (o governo Temer propõe idade mínima de 65 anos para homens e mulheres poderem se aposentar). Os parlamentares devem votar de acordo com  o que foi falado para o eleitor na campanha. Não podemos aceitar que um cortador de cana se aposente com a mesma idade de um profissional liberal e nem admitir que um policial fique até os 65 anos trocando tiros. A idade de aposentadoria da mulher não deve ser igual a do homem”, avalia. 

Danilo Cabral, deputado federal pelo PSB, partido do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, apresentou quatro emendas e é um dos mais críticos à reforma proposta.  

Já André de Paula (PSD), do partido do ministro Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), quer que os benefícios previdenciários nunca sejam inferiores a um salário mínimo.

Gonzaga Patriota (PSB) e Cadoca (PDT) apresentaram uma emenda cada. “Vou votar a favor da reforma, mas explicitei na minha emenda o direito adquirido dos parlamentares vinculados ao Plano de Seguridade Social dos Congressistas”, afirma Cadoca.

OAB SE POSICIONA

Na última terça-feira, a OAB organizou uma ato contra a Reforma da Previdência junto a mais 160 entidades em Brasília. O presidente da OAB-PE, Ronnie Duarte, participou do evento.

“Somos contra essa reforma. Está sendo feita de maneira açodada, sem ouvir a sociedade. Vai ter uma massa de trabalhadores  rurais, que têm uma expectativa de vida mais baixa, que vai contribuir sem nunca receber.  A desigualdade precisa ser corrigida”, opina.

Recomendados para você


Comentários

Por Benito polonorte,16/03/2017

Como sempre acontece é mais cômodo atingir a classe trabalhadora, a reforma não atinge o pessoal do governo e militares que fazem parte do INSS depois seria lógico fazer-se uma profunda e detalhada reforma política, atingindo os três poderes e retirando vantagens que não fazem parte do salário. Então com absoluta certeza iria sobrar verbas para tapar o imenso buraco da previdência, sem necessidade de enfiar no trabalhador. Eita Brasil Brasileiro entregue a um bando de aprendizes de feiticeiro. Deus nos livre!!!!....

Por rocilda Pereira da Silva,16/03/2017

É uma vergonha essas proposta de reforma da previdência de Temer e de alguns governistas contra os trabalhadores que recebem uma miséria para tentar sobreviver. A reforma têm que ser feita nos: seus salários, cortar as vantagens e aumentar o seus tempos de trabalho que é muito inferior aos do trabalhador.

Por Claudio,16/03/2017

Acorda Brasil..... será que vamos deixar um velho de 76 anos que já fez a vida dele e com certeza já tem uma aposentadoria gorda, fazer isso com nós brasileiros trabalhadores? ...da mesma forma que tiraram a Dilma podemos sim tirar o Michel Temer do poder... ..esses políticos tem que entender que o povo é quem elege e coloca eles lá em cima... ...e que o povo também pode tirar ele de lá..



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM