Jornal do Commercio
Violência policial

'Tentativa de homicídio', diz deputado sobre jovem baleado por PM

Edilson Silva (PSOL) diz que vai acionar Comissão de Cidadania da Assembleia para atuar no caso; Teresa Leitão (PT) quer audiência com titular da SDS

Publicado em 19/03/2017, às 13h49

Edilson Silva (PSOL) diz que Comissão de Cidadania da Assembleia Legislativa vai cobrar investigação rigorosa no caso do jovem baleado por um PM em Itambé, na Zona da Mata / Giovanni Costa/Alepe
Edilson Silva (PSOL) diz que Comissão de Cidadania da Assembleia Legislativa vai cobrar investigação rigorosa no caso do jovem baleado por um PM em Itambé, na Zona da Mata
Giovanni Costa/Alepe
JC Online

A Segurança Pública vem sendo um dos calos da gestão Paulo Câmara (PSB) e as cobranças devem aumentar após um policial militar balear um jovem durante um protesto em Itambé, na Zona da Mata do Estado (TV Jornal mostra momento em que Edvaldo da Silva é atingido pelo tiro; assista ao vídeo abaixo também). Ligados à bancada de oposição ao governo estadual, os deputados Edilson Silva (PSOL) e Teresa Leitão (PT) garantiram que vão colocar o Estado contra a parede nesse assunto.

Edilson Silva afirmou que irá a Itambé nesta segunda-feira e que tomará algumas medidas no âmbito da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, da qual é presidente.



"Vou cobrar do Ministério Público, do promotor, uma medida, uma investigação imediata. Vou cobrar da Polícia Civil porque não foi permitido fazer o boletim de ocorrência em Itambé. A família me disse que tentou e não conseguiu. A comissão vai pedir ao comando da Polícia Militar e à Corregedoria celeridade e a uma investigação urgente e rigorosa. Não dá para fazer uma investigação lenta. É um negócio inacreditável", disse.

De acordo com Edilson, é preciso que o Estado tome providências em relação aos policiais envolvidos no protesto em Itambé.

"Vamos exigir a punição. Há fortes indícios de que esses policiais não têm condições de serem policiais. Tudo indica que foi uma tentativa de homicídio. O policial atirou e fez a opção por correr o risco de matar. Eles têm que ser julgados pelos crimes cometidos", afirmou.

A deputada estadual Teresa Leitão, que acompanhou os ex-presidentes Dilma Rousseff (PT) e Lula (PT) em visita a obras da Transposição do Rio São Francisco, usou as redes sociais para comentar o assunto. Ela disse que vai solicitar uma audiência com o secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia.

"O que aconteceu foi um absurdo. Um ato pacífico reivindicando maior presença da polícia na cidade e que acaba sendo reprimido brutalmente por esta mesma polícia. Ao invés de proteger, o Estado chega para reprimir violentamente os manifestantes", comentou, ressaltando que o caso é para "expulsão da corporação".

A assessoria do governador Paulo Câmara foi procurada, mas informou que as explicações sobre o caso ficam a cargo da Polícia Militar e da secretaria de Defesa Social.

O deputado Isaltino Nascimento (PSB), líder do governo estadual na Assembleia Legislativa, informou que os procedimentos no ãmbito administrativo foram tomados.

"A Corregedoria é o órgão apropriado para apurar o episódio e ouvirá todos os envolvidos, inclusive garantindo o direito de defesa e o contraditório. Na conclusão, indicará as ações a serem tomadas pelo comando da corporação e pelo Executivo. O governo não coaduna com nenhum tipo de ato ilícito", destacou.

Em nota, a Secretaria de Defesa Social (SDS) afirmou que determinou abertura de inquérito policial e procedimento administrativo para apurar a ocorrência. O órgão não soube informar se o policial militar foi afastado das atividades enquanto a investigação ocorre.

A reportagem do JC tentou entrar em contato com o comando do Batalhão de Goiana, responsável pelo efetivo policial militar em Itambé, mas não obteve retorno. Procurada, a assessoria de comunicação da Polícia Militar informou que está aguardado uma posição da Corregedoria e que "vale a nota da SDS".

Família de jovem baleado em operação da PM vai entrar na Justiça

Jovem baleado em ação policial está em estado grave na UTI

ENTENDA O CASO

A direção do Hospital Miguel Arraes divulgou uma nota informando que Edvaldo, internado na UTI da unidade, apresentou uma pequena melhora em seu quadro de saúde. Um novo boletim deve ser divulgado apenas nesta segunda-feira. Já os familiares do jovem informaram que vão acionar a Justiça.

Edvaldo estava protestando ao lado de outros moradores de Itambém na tarde da última sexta-feira, quando foi vítima de um disparo de arma de fogo. Segundo uma testemunha, o ato era pacífico e os manifestantes estavam à espera da chegada da imprensa. Os policiais chegaram e teriam ordenado o fim da manifestação.

No vídeo que repercutiu na internet, é possível ver o jovem falando com uma mulher que, segundo uma testemunha, que preferiu não se identificar, estava com medo das ameaças da polícia e queria ir embora.

Edvaldo se negou a sair e, neste momento, um policial aparece nas imagens perguntando: "é esse que vai levar o tiro primeiro?". Em seguida, outro policial efetua o disparo. A vítima ainda é arrastada pelo asfalto e agredida por um policial militar.

Recomendados para você


Comentários

Por Antonio Azevedo,21/03/2017

Sou de São Paulo e vi essas imagens no Domingo. Confesso, fiquei chocado. Esse caso é caso para prisão imediata do comando e do assassino que atirou. Esse comandante tinha que ter dado voz de prisão no ato do tiro, não o fez. Portanto expulsão e prisão. Não há outro caminho. CADEIA IMEDIATAMENTE, NÃO HÁ OUTRO CAMINHO.

Por silva,21/03/2017

CONCORDO COM EDMAR SIM FOR PREDER OS PM BANDIDO VAI TER QUE COST. MUITOS PRESIDIO. ESSE GORV. E COMANTE DA POLICIA. A MERDA DO GATO

Por Edmar,19/03/2017

O Comandante da PM e o Governador estão CAGANDO E ANDANDO para o que acontece com a população. Esse escrotos tem proteção 24 horas para eles e familiares nas suas casas, colégios e faculdades dos filhos e até nas academias de ginásticas e salão de beleza para as suas mulheres.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM