Jornal do Commercio
PSB

''A decisão é dele'', diz presidente do PSB sobre Fernando Filho

Presidente do PSB, Carlos Siqueira, reafirmou seu posicionamento de que o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB) deve se retirar do governo Temer

Publicado em 19/05/2017, às 12h29

"Como um partido não indica um ministro e ele continua? Como um partido que está contra a Reforma Trabalhista e a Reforma da Previdência tem um ministro no governo?", disse o presidente do PSB
Humberto Pradera / Divulgação
Luisa Farias

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, voltou a defender a saída do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (PSB) do governo, após a liberação do áudio da conversa do presidente Michel Temer (PMDB) com o empresário da JBS Joesley Batista pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (18)

Carlos Siqueira lembrou mais uma vez que o PSB não indicou cargos para o governo de Michel Temer. “Penso que ele deveria se afastar. Mas a decisão é dele, porque ele não está lá em nome do PSB, portanto, foi uma sugestão, até pela admiração, pelo companheirismo que tenho com ele, um jovem de importante quadro do nosso partido”, disse o presidente do PSB em entrevista à Rádio Jornal na manhã desta sexta-feira (19).

Segundo Siqueira, sua maior preocupação com a permanência de Fernando Filho no Ministério é com a figura do partido. “Porque na percepção geral nem todo mundo compreende. Como um partido não indica um ministro e ele continua? Como um partido que está contra a Reforma Trabalhista e a Reforma da Previdência tem um ministro no governo? No imaginário popular não fica bem claro”, contou. 



Retaliação

A Executiva nacional do PSB decidiu em 24 de abril fechar questão contra as reformas Trabalhista e da Previdência propostas pelo Governo Federal. Dos 30 deputados do PSB no Congresso Nacional, 14 votaram a favor da Reforma Trabalhista. Carlos Siqueira destituiu quatro presidentes estaduais do partido, Fabio Garcia (PSB-MT), Maria Helena (PSB-RR), Danilo Forte (PSB-CE), e Tereza Cristina (PSB-MS), líder da bancada federal.

“Eles foram afastados porque em cada estado o presidente de certa maneira não deixa de ser a cara pública do partido. Isso funcionou muito bem porque a repercussão nos estados foi muito grande e ficou claro que eles eram dissidentes e não estavam seguindo a orientação com posição fechada do PSB contra as reformas”, afirmou.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM