Jornal do Commercio
PROJETOS DE LEI

Prefeitura encaminha à Câmara projeto de lei para ampliação da licença paternidade

Outros projetos encaminhados pela administração municipal versam sobre a inclusão de pessoas com deficiência

Publicado em 16/06/2017, às 16h43

Se aprovado, o projeto trará um ganho para os pais que poderão ficar mais perto dos filhos nos primeiros dias de vida / Foto: Agência Brasil
Se aprovado, o projeto trará um ganho para os pais que poderão ficar mais perto dos filhos nos primeiros dias de vida
Foto: Agência Brasil
editoria de Economia

A Prefeitura do Recife enviou à Câmara Municipal dos Vereadores um projeto de lei que pretende ampliar o prazo da licença paternidade dos servidores. A proposta prevê que o prazo atual, de cinco dias,seja ampliado para 20, sem prejuízo da remuneração.

Servidoras públicas municipais e empregadas públicas da Administração Indireta do Município do Recife já têm direito à licença maternidade de 180 dias.

Outros projetos encaminhados pela PCR versam sobre a inclusão de pessoas com deficiência ou que tenham dependentes com deficiência. Caso seja aprovada, essa medida vai garantir que os servidores públicos municipais com deficiência, efetivos da Administração Direta, Autárquica e Fundacional, tenham o benefício de obter horário especial de trabalho, que será independente da compensação de horário. Para obter o recurso, será exigida a comprovação da necessidade por junta médica oficial.



A norma também se estende ao servidor que tenha cônjuge, filho ou dependente com deficiência. Neste caso, será necessário comprovar que não existe outra forma de garantir a assistência adequada à pessoa com deficiência. Se aceita na íntegra, o PL garantirá que o servidor poderá ter redução de até 50% da carga horária exigida ao cargo ocupado pelo servidor.

Igualdade de direitos

Em junho de 2014, a Prefeitura do Recife passou a reconhecer a igualdade de direitos entre gêneros quanto à concessão de Licença Maternidade. Os servidores em uma União Estável homoafetiva têm direito a uma licença de 180 dias, no caso da adoção de um filho ou da gestação em barriga-solidária, o mesmo período que é concedido às servidoras.


Recomendados para você


Comentários

Por Flavio Rodrigues,16/06/2017

Cinco dias são mais que suficientes. O contribuinte não tem porque pagar por essas benesses tolas.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM