Jornal do Commercio
manifestação

Julgamento de suspeitos de vandalismo dos protestos de 2013 começa nesta segunda (17)

Grupo é acusado de queimar ônibus e destruir estação de bicicleta em protesto sobre transporte coletivo

Publicado em 17/07/2017, às 12h35

Protesto ocorreu em agosto de 2013 / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Protesto ocorreu em agosto de 2013
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Mariana Araújo

Começa nesta segunda-feira (17) o julgamento de sete denunciados por vandalismo em um protesto ocorrido em 2013 no Recife. Entre eles, está o ex-candidato a vereador do Recife Pedro Josephi (PSOL), que na época membro do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e integrante da Frente de Luta pelo Transporte Público.

Pedro é acusado de ter participado em 21 de agosto de 2013 de um protesto na capital pernambucana em que um ônibus foi incendiado na Rua do Príncipe e uma estação de alguel de bicicletas compartilhadas foi quebrada. Pedro confirma que esteve presente na manifestação, mas nega que tenha participado dos atos de vandalismo. Hoje, ele é advogado.

"Não tem nada que aponte minha participação. Sempre fui de rosto limpo, minhas ações sempre foram probas, limpas", disse. Na época das manifestações, ele não foi detido.



Nesta segunda (17), serão ouvidas as testemunhas de acusação, chamadas pelo Ministério Público. Na terça (18) e quarta (19), serão ouvidas as testemunhas de defesa. NO dia 24, está prevista a ouvida dos réus. O julgamento ocorre na 11ª Vara Criminal do Recife, no Fórum Joana Bezerra.

Pedro Josephi atribui sua acusação a uma perseguição política praticada na época pelo então secretário de Defesa Social Wilson Damázio. "Fui surpreendido com a acusação. Estava colaborando com as investigações", disse Pedro, acrescentando que prestou depoimento seis vezes na Polícia Civil como testemunha.

PROTESTO

O protesto na época pedia a implantação do passe livre para estudantes e melhorias no transpor público. O grupo começou o ato no Parque 13 de Maio à tarde e, no início da noite, um grupo de mascarados iniciou os atos violentos. Foram quebradas vidraças de lojas na Avenida Conde da Boa Vista e do Cinema São Luiz. Um ônibus foi incendiado e uma estação de bicicletas compartilhadas destruída.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM