Jornal do Commercio
Governo Temer

Movimentos sociais debatem democracia, reforma política e organização

Seminário de três dias tem início nesta sexta (28/7) no Sindicato dos Bancários, no Recife, com palestra de José Maroni (Inesc) e Betânia Ávila (SOS Corpo)

Publicado em 28/07/2017, às 17h28

Seminário discute democracia, reforma política e organização de movimentos sociais na era Temer / Alexandre Gondim/JC Imagem
Seminário discute democracia, reforma política e organização de movimentos sociais na era Temer
Alexandre Gondim/JC Imagem
Editoria de Política

Movimentos sociais se reúnem no Recife desta sexta (28/7) até domingo (30/07) para debater os impactos da crise política brasileira nas lutas das organizações populares e sindicais. Reforma política, enfrentamento de retrocessos nos direitos trabalhistas e das mulheres e nas questões agrárias estão entre questões a serem debatidas. Como fica a luta contra o racismo, os direitos indígenas e quilombolas e os de outros grupos que vinham se afirmando, como as comunidades LGBT, ambientalistas e organizações da juventude também estão na pauta.

O evento, organizado pela Equip - Escola de Formação Quilombo dos Palmares em parceria com a CUT, Fase e outros entidades, será aberto às 18h desta sexta (28/07), no Sindicato dos Bancários, na Rua Manoel Borba, na Boa Vista, com palestras de José Antônio Moroni, do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), de Brasília, e da feminista Betânia Ávila, uma das fundadoras do SOS Corpo, Instituto Feminista pela Democracia, do Recife.

O Inesc foi criado em 1979, é uma organização não governamental que atua para ampliar a participação social em espaços de deliberação de políticas públicas. Assim como o SOS Corpo, integra um grupo que debate propostas da sociedade organizada para a reforma política do País. Em entrevista publicada no site do Inesc, Maroni avalia que mesmo no atual cenário desfavorável da política brasileira, de retrocessos, abre-se a possibilidade de fortalecer os movimentos sociais e a esquerda. “Essa conjuntura política abriu muitas possibilidades, de A a Z. Inclusive a possibilidade da direita e ultra-direita saírem fortalecidas desse processo (...) Mas ao mesmo tempo nos abre a possibilidade, para o campo democrático e progressista, da esquerda, de colocarmos nossas agendas e estarmos rearticulando enquanto campo político. Temos hoje uma unidade que a gente não tinha há dois anos”, avaliou.



No sábado, o evento será transferido para a sede do Centro de Formação do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais da Saúde e Previdência (Sindsprev), na Guabiraba. Pela manhã, Carlos Veras, da CUT e da Frente Brasil Popular, vai falar sobre as dificuldades e desafios da articulação em frente, enquanto Sílvia Dantas, do Fórum de Mulheres de Pernambuco, discutirá o enfrentamento ao fundamentalismo e ao racismo, assim como a importância da organização de mulheres, jovens, quilombolas e indígenas. À tarde grupos discutirão democracia, educação popular, o direito à água, à terra, à cidade, a proteção da biodiversidade, segurança alimentar e as lutas contra a homofobia. No domingo, no mesmo local, os trabalhos ficarão em torno de estratégias de trabalho e perspectivas.

Entidades repudiam programa de revitalização da indústria mineral

Mais de 70 organizações e movimentos sociais brasileiros, 17 organizações internacionais, entre eles o Inesc, assinam nota de repúdio ao Programa de Revitalização da Indústria Mineral, lançado pelo governo Temer no dia 25 de julho. “Mudar o Código da Mineração no momento de turbulência política pela qual passa o País, tratando a mineração apenas sob a ótica fiscal e administrativa, deixa claro que esta manobra faz parte do pacote de ações de desmonte da democracia e que é uma clara tentativa de buscar convencer parlamentares da bancada mineradora a votar contra o prosseguimento da denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) por corrupção passiva”, diz matéria divulgada no site do Inesc .

 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM