Jornal do Commercio
Crise nos municípios

Amupe vai pedir R$ 196 milhões à União para socorrer prefeituras

Pelo menos cinco prefeituras de Pernambuco já começaram a demitir funcionários por conta do deficit nas receitas municipais

Publicado em 14/11/2017, às 13h04

Prefeitos pernambucanos anunciaram nesta terça (14), uma série de medidas para conter a crise, como demissão de funcionários e redução de serviços a população / Foto: Felipe Ribeiro / JC Imagem
Prefeitos pernambucanos anunciaram nesta terça (14), uma série de medidas para conter a crise, como demissão de funcionários e redução de serviços a população
Foto: Felipe Ribeiro / JC Imagem
Editoria de Política
Com informações da repórter Ângela Belfort

A Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) vai pedir uma ajuda emergencial de R$ 196 milhões à União para socorrer financeiramente os 184 municípios pernambucanos. A situação da maioria das prefeituras é de deficit nas suas receitas. Pelo menos cinco prefeituras já começaram a demitir e vão desligar mais funcionários até o final deste mês.

Segundo o presidente da Amupe, José Patriota, o problema que mais atingiu as finanças municipais foi a queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), uma das principais receitas dos pequenos municípios.



Os prefeitos pernambucanos vão a Brasilia no próximo dia 22 para pressionar o governo federal a liberar recursos emergenciais para as Prefeituras. Em todo o País, esse socorro custará R$ 4 bilhões e deve sair do tesouro nacional.

Medidas drásticas

Diante da crise financeira que afeta os cofres municipais do estado, prefeitos pernambucanos anunciaram nesta terça-feira (14) pela manhã, na sede da Amupe, uma série de medidas drásticas a serem tomadas para conter os gastos, como a demissão de funcionários e redução de serviços prestados à população. 


Recomendados para você


Comentários

Por LYRA,14/11/2017

Somente quero que os senhores respondam a essa pergunta: Como é que falta dinheiro nas prefeituras, que inclusive estão demitindo funcionários/servidores (realmente existe um excesso grande de mamadores nas mesmas) mas, não falta dinheiro para os prefeitos e os vereadores, todos BANDIDOS, enriquecerem de forma ilícita, justamente com o dinheiro dos cofres dessas mesmas prefeituras, sem falar em festas que realizam com cantores PEBAS que chegam a receberem até R$500 mil?



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM