Jornal do Commercio
MANDADOS DE PRISÃO

Alvos da Operação Torrentes são presos novamente pela Polícia Federal

Entre os mandados de prisão domiciliar e preventiva expedidos, dois foram contra militares. Ao todo, dez pessoas foram presas novamente

Publicado em 21/11/2017, às 20h03

A Torrentes apura supostas fraudes em contratos de assistência às vítimas das enchentes que castigaram a Mata Sul / Foto: Luiz Pessoa/JC Imagem
A Torrentes apura supostas fraudes em contratos de assistência às vítimas das enchentes que castigaram a Mata Sul
Foto: Luiz Pessoa/JC Imagem
JC Online

Dez alvos da Operação Torrentes foram presos novamente pela Polícia Federal, nesta terça-feira (21). Ao todo, foram expedidos nove mandados de prisão preventiva e dois de prisão domiciliar. Uma das pessoas não foi localizada.

O tenente-coronel Laurinaldo Félix do Nascimento e o coronel Fábio de Alcântara Rosendo cumprem prisão domiciliar. Outros seis homens e duas mulheres passarão por audiência de custódia e serão levados para o Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, e para a Colônia Penal Feminina do Recife.

Os oficiais também foram obrigados a entregar os passaportes, foram afastados das funções públicas e deverão pagar fiança posteriormente, o valor ainda será informado pela Justiça.

Civis presos

Os civis presos preventivamente são Heverton Soares da Silva, Ítalo Henrique Silva, Ricardo José de Padilha, Rafaela Carrazone da Cruz, Taciana Santos Costa, Ricardo Henrique Reis dos Santos e Emanoel Feliciano. O alvo Daniel Pereira da Costa não foi encontrado.



Novos fatos

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou as prisões após o surgimento de novos fatos na investigação. 

Operação Torrentes

Treze pessoas que estavam em prisão temporária no âmbito da Operação Torrentes haviam sido liberadas em 14 de novembro, cinco dias após o cumprimento dos mandados pela Polícia Federal. O Ministério Público Federal (MPF) chegou a pedir à 36ª Vara Federal a prorrogação das prisões, mas a juíza Carolina Souza Malta negou.

A Operação Torrentes investiga supostas fraudes em contratos de assistência às vítimas das enchentes na Mata Sul pernambucana em 2010 e 2017, com foco na Secretaria da Casa Militar. A apuração começou a partir de um relatório da Controladoria Geral da União (CGU) em 2016 apontando irregularidades como superfaturamento em 15 licitações entre 2010 e 2015.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por gerson,22/11/2017

Esses MILITARES se assim comprovadas suas resposabilidades criminais, tem que SEREM EXCLUÍDOS DA CORPORAÇÃO, são acusados de ROUBAR, PESSOAS HUMILDES COM SEDE E FOME, que tiveram suas casas destruídas pelas aguas sujas e lama das ENCHENTES, a POLÍCIA MILITAR É CENTENÁRIA E NÃO PODE CARREGAR EM SUA TRAJETÓRIA ESSA MANCHA CRIMINOSA DE ALGUNS INTEGRANTES, até mesmo por uma questão de ÉTICA, MORAL E DISCIPLINA QUE COM CERTEZA IRÁ FICAR AGRAVADISSIMAS DENTRO DOS QUARTÉIS, SE HOUVER A IMPUNIDADE CONFORME AS LEIS QUE DETERMINAM A EXCLSÃO E A PUNIÇÃO EXEMPLAR DESSES DESGRAÇADOS, infelismente já está se tornando comum MILITARES DE ALTA PATENTE DA PMPE, terem comportamentos DELINQUENTES, EM CASOS RECENTES tivemos dois CORONÉIS ENVOLVIDOS EM AÇÕES CRIMINOSAS, um foi durante sua gestão dentro da própria SDS e outro quando Comandava o Batalhão de Polícia Rodoviária !!

Por ronaldo,22/11/2017

As "famílias nobres" agora vão pagar pelos imundos crimes que cometeram!!!!

Por Observador,21/11/2017

Esse Ricardo Padilha já gosta de ser preso!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM