Jornal do Commercio
Bolsa Família

Bolsa Família: 26.839 famílias de PE podem ter falsificado renda para receber benefício

Outros 69.612 cadastros do Bolsa Família apresentaram inconsistências, o que implica em casos de bloqueio e até o cancelamento do benefício

Publicado em 04/01/2018, às 15h04

De acordo com auditoria da CGU, há fortes indícios de terem falseado a declaração da informação de renda no momento do cadastro / Foto: Agência Brasil
De acordo com auditoria da CGU, há fortes indícios de terem falseado a declaração da informação de renda no momento do cadastro
Foto: Agência Brasil
Editoria de Política

Os dados de 26.839 beneficiários do Programa do Bolsa Família no estado de Pernambuco apresentaram indícios de informações inverídicas nos seus cadastros, segundo auditoria produzida pelo Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU). A avaliação cruzou bases de dados oficiais com as rendas declaradas pelos beneficiários do Cadastro Único do Bolsa Família para identificar possíveis inconsistências.

Segundo a CGU, há “fortes indícios de terem falseado a declaração da informação de renda no momento do cadastro”. É o caso de servidores públicos, empresários, pessoas proprietárias de casa própria recebendo benefício. Por meio de nota, a CGU acrescenta que, sendo comprovadas as irregularidades, serão abertos processos administrativos e aplicadas “sanções legais, tais como devolução de valor” e a impossibilidade de retorno ao Bolsa Família pelo prazo de um ano.

Inconsistências

Em todo o Brasil, do total de 13,5 milhões de famílias beneficiadas, foram identificados 2,5 milhões que recebiam o benefício com "indícios de inconsistência cadastral". Elas foram enquadradas em três faixas de renda familiar per capita (RFPC). 



Em Pernambuco, são 1.130.900 beneficiários do programa. Desse total, 34.757 famílias estavam enquadradas na faixa com renda per capita acima de meio salário mínimo, o que corresponde à R$ 440. Nesse caso, os benefícios foram cancelados.

Outras 101.707 famílias tinham renda per capita entre R$ 170 e meio salário mínimo e tiveram o benefício bloqueado. A liberação só será feita depois que o beneficiário fizer o recadastramento.

O levantamento identificou ainda “indícios de inconsistência cadastral” nos dados sobre cerca de 38.554 famílias enquadradas na faixa com renda familiar per capita de até R$ 170. Por enquanto, esses beneficiários não terão o Bolsa Família cancelado ou bloqueado, mas precisarão fazer o recadastramento, segundo a CGU.     


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM