Jornal do Commercio
Empreendedorismo

Jovens executivos elencam dificuldades das startups

Antes de embarcar numa ideia é preciso pesquisar e planejar, avisou o quinteto de palestrantes

Publicado em 19/07/2013, às 13h51

Igor Gomes

Como em qualquer empreendimento, o dia a dia de uma startup não é fácil. Foi extamente isso que quatro jovens executivos tentaram mostrar no início da tarde desta sexta (19) ao público da Campus Party. "Para começar não é preciso entregar um produto pronto. Deve-se ver a demanda do mercado e então criar a solução. Mas quando você tem a solução e a empresa se estrutura, questões administrativas, tributárias e humanas são muito complexas e demandam esforço de aprendizado", afirmou o CEO do Eventick, Thiago Diniz.

Além de Diniz, participaram da discussão Eduardo Maciel (mediador), coordenador de eventos de moda na América Latina; Marcel Caraciollo, cientista-Chefe da startup rede social educacional Atepassar.com; Bruno Iglesias, da Mobipass (empresa que gerencia um aplicativo homônimo, que permite pagar a conta da balada sem enfrentar filas); e Bruno Encarnação, da Sodet.

Todos foram unânimes em elencar as dificuldades de pessoal para s abrir uma startup. Para eles, o mais complicado é fazer o funcionário comprar a ideia da empresa. "Não tem como. Ou você acha a pessoa ou não acha. E há outras questões. Às vezes se acha, por exemplo, um programador capaz mas que não cumpre os prazos. É uma busca constante", disse Bruno Encarnação.

Thiago Diniz, que teve outras duas empresas antes de embarcar no Eventick, pontuou a necessidade de se planejar para empreender. "É sempre importante se preparar. Se a pessoa quer ter seu próprio negócio, é bom ter um dinheiro guardado para poder se dedicar à empresa. Caso não seja possível, deve-se trabalhar, pedir apoio à família ou buscar qualquer outra forma", explicou. "O importante é se dedicar e planejar o máximo que puder", acrescentou Bruno Iglesias.

Saber como funciona uma planilha financeira, o dinheiro que entra ou sai do caixa, é essencial. "Essas noções são importantes, mas o essencial é saber que a grana que entra não é sua. Às vezes causa um deslumbramento certos números, mas quem está iniciando deve se lembrar de pagar as contas e os funcionários", ressaltou Bruno Encarnação. 

Eles possuem larga história de dedicação aos negócios. "Sou da parte de programação e tive de estudar tributação, administração, esses temas. É necessário", relata Diniz. "Em uma época da minha vida eu trabalhava em uma empresa, fazia o mestrado e ainda estava desenvolvendo uma startup", diz Bruno Encarnação. "É uma imensa felicidade quando você finalmente consegue abrir sua planilha financeira e ver tudo azul", brinca Caraciollo.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM