Jornal do Commercio
Preço alto

Gamer que comprar PS4 nos Estados Unidos pagará R$ 1.650

Conversão da moeda mais impostos resulta em valor muito abaixo do preço divulgado pela Sony Brasil

Publicado em 17/10/2013, às 17h16

 / Foto: Divulgação/Sony

Foto: Divulgação/Sony

Do JC Online

A Sony provocou a ira dos gamers brasileiros após finalmente divulgar o preço do PS4 no País. O console de nova geração irá custar a bagatela de R$ 3.999, quase o dobro do preço do concorrente XBox One, da Microsoft. O aparelho chega ao Brasil na segunda quinzena de dezembro, duas semanas depois do lançamento nos Estados Unidos. Segundo a Sony, cerca de 70% desse valor corresponde a impostos.

O curioso é que nos Estados Unidos é o PS4 o console mais barato. Precisamente US$ 100 mais barato. Lá, o produto da Sony custa US$ 399, enquanto que o modelo da Microsoft é US$ 499. Outro fator curioso é que a desculpa dos impostos não bate com os números tão díspares dos consoles. Vale lembrar que nenhum deles é fabricado no Brasil (o que justificaria um preço tão mais baixo no caso do Xbox One). Ou seja, ambas empresas importam os consoles da mesma forma e estão sujeitos aos mesmos impostos.

Uma visita rápida ao site da Recife Federal é possível SIMULAR o preço de importação dos dois produtos. Com todas as taxas de importação, o PS4 sairia por R$ 1.647,49. Utilizando o mesmo processo de importação, o custo do Xbox One seria de R$ 2.060,39. Se considerarmos que as despesas com o transporte diluídas nas milheres de unidades importadas, a diferença de R$ 130 entre o preço nos Estados Unidos e o valor convertido e taxado no Brasil faz todo sentido.

Como se já não bastasse isso, o PS4 no Chile, por exemplo, equivale a cerca de R$ 1.550. Ou seja, é possível viajar para o país vizinho, comprar o novo console da Sony e, de repente, ainda economizar uns trocados.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM