Jornal do Commercio
FACEBOOK

Facebook anuncia reforço nas ferramentas de prevenção ao suicídio

A rede social pretende reforçar equipe de especialistas para analisar denúncias de conteúdos relacionados a suicídio ou automutilação

Publicado em 27/11/2017, às 13h58

"Temos equipes trabalhando em todo o mundo, 24 horas por dia, 7 dias por semana", afirma Guy Rosen
Foto: Google Images/Reprodução
Estadão Conteúdo

O Facebook anunciou nesta segunda-feira (27) mudanças nas ferramentas de prevenção ao suicídio. Em comunicado, Guy Rosen, vice-presidente de Gerenciamento de Produto, afirma que uma das melhorias será na equipe de revisores de conteúdo. A rede social vai dedicar mais especialistas para analisar denúncias de conteúdos de suicídio ou automutilação.

Para identificar sinais de alerta em vídeos - gravados ou ao vivo -, a rede social vai começar a aplicar também inteligência artificial que antes ficava restrita aos usuários dos Estados Unidos. No comunicado, Rosen explica o Facebook que reconhecimento de padrões para ajudar a identificar publicações e transmissões ao vivo como possíveis de expressar pensamentos suicidas.

"Usamos sinais como o texto usado em posts e comentários (por exemplo, comentários como 'você está bem?' ou 'posso ajudar?' podem ser sinais de que uma pessoa está enfrentando dificuldade emocional)", afirma. O comunicado ainda ressalta que essa tecnologia já ajudou a rede a identificar vídeos que poderiam não ter sido reportados por usuários.



Mesmo assim, o papel do internauta continua importante na identificação de conteúdos que possam indicar pensamentos suicidas ou de automutilação. "Você pode entrar em contato com ela diretamente ou denunciar o post para nós", encoraja Rosen. "Temos equipes trabalhando em todo o mundo, 24 horas por dia, 7 dias por semana, que analisam as denúncias e dão prioridade aos relatos mais sérios."

A rede oferece sugestões de mensagens e abordagens que podem ser usadas em situações delicadas. Denúncias mais sérias, que possam envolver risco à vida, recebem ação prioritária, afirma Rosen "Em situações assim, autoridades locais são notificadas até duas vezes mais rápido do que em outras denúncias", garante.

Em maio deste ano, o Instagram lançou uma campanha de conscientização sobre saúde mental. Uma pesquisa lançada naquele mês mostrou o impacto das redes sociais para os jovens.


Recomendados para você


Comentários

Por pedro vicente da silva filho,13/01/2018

Lamento à morte da criança, mas, aproveito para falar para as pessoas que evitem de usar acessórios feitos com pele de animais. É um protesto válido, afinal de contas não , é alimentos.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vidas Compartilhadas Vidas Compartilhadas
O JC apresenta o mundo da doação e dos transplantes de órgãos pelas vozes de pessoas que ensinam, mesmo diante das adversidades, a recomeçar a vida quantas vezes for preciso.
JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM